i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Em Curitiba

GM registra 52 ocorrências de violência contra mulher no transporte coletivo

Dados são de novembro de 2014 a agosto de 2015, desde quando foi lançada a campanha Busão sem Abuso

  • PorDa Redação
  • 20/08/2015 17:36
 | /Divulgação
| Foto: /Divulgação

A Guarda Municipal de Curitiba registrou 52 ocorrências de violência contra a mulher no transporte coletivo desde novembro de 2014 até o início deste mês de agosto. Em 2015, foram 44 casos, metade deles envolvendo atos obscenos/libidinosos e a outra metade com assédio sexual. Os dados de 2015 vão até o dia 10 de agosto.

A prefeitura de Curitiba atribui esse registro à campanha “Busão sem Abuso”, lançada em novembro passado, e que incentiva mulheres e testemunhas a denunciarem casos de abuso sexual dentro dos veículos do transporte coletivo. Os casos registrados na Guarda Municipal envolvem abusos, assédio sexual, atos obscenos, constrangimentos e condutas inconvenientes.

Segundo a prefeitura, a orientação é para que mulheres vítimas de abusos ou qualquer pessoa que presenciar um ato desses deve entrar em contato com a Guarda Municipal pelo telefone 153 e informar a linha do ônibus, horário e trajeto para que uma viatura da corporação seja direcionada ao local.

Funcionários do transporte coletivo e fiscais e vigilantes de terminais são orientados a prestar atendimento nestes casos e a deter acusados de abuso até a chegada dos agentes. O caso é encaminhado para a Delegacia da Mulher de Curitiba.

Na avaliação da secretária da Mulher de Curitiba, Roseli Isidoro, “apesar de o medo e da vergonha em denunciar ainda serem fatores de subnotificação dos casos, a campanha dá coragem às mulheres quando aponta o que é considerado abuso, o que elas podem fazer e como fazer para denunciar. A sociedade demonstra que está reagindo e que é hora de superar o medo e a vergonha”, diz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.