Telhado da Escola Sagrada Família foi destruído durante a apresentação de Dia das Crianças | Gisele Barão/Gazeta do Povo
Telhado da Escola Sagrada Família foi destruído durante a apresentação de Dia das Crianças| Foto: Gisele Barão/Gazeta do Povo

O governador em exercício, deputado Ademar Traiano (PSDB), assinou nesta terça-feira (13) o decreto de estado de calamidade pública do município de Ipiranga, nos Campos Gerais, em decorrência das chuvas que assolaram a cidade no final da última semana. Uma tempestade atingiu o município e afetou cerca de sete mil habitantes.

O decreto do estado de calamidade pública facilita que o município consiga contratar serviços para obras e recuperação dos estragos sem a necessidade de abertura de licitação, segundo a Agência Estadual de Notícias (AEN). Na cidade, pelo menos 50 prédios públicos foram danificados, entre eles três escolas, o hospital municipal e unidades de saúde. Além disso, 1,7 mil casas também ficaram danificadas.

Os prejuízos causados pelas chuvas foram calculados em R$ 32 milhões, maior do que todo o orçamento previsto para 2016 em Ipiranga, que é de R$ 30 milhões, segundo a AEN. O governo do estado informou ter liberado R$ 500 mil para a compra de medicamentos para o município.

As chuvas de quinta (8) e sexta-feira (9) afetaram ao todo 11.504 pessoas em 20 municípios do estado. No dia 9, um tornado atingiu o distrito de Palmitópolis, entre as cidades de Cafelândia e Nova Aurora, no Oeste do Paraná. A velocidade dos ventos pode ter chegado a 115 km/h, de acordo com o Simepar.

No Sul do estado, as chuvas do fim de semana fizeram o nível do Rio Negro, entre o Paraná e Santa Catarina, subir 4,5 metros acima do nível normal. As cidades de Rio Negro (PR) e Mafra (SC), separadas pelo rio, estão em estado de alerta. No município paranaense, quatro ruas ficaram inundadas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]