i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
GREVE

Governo recusa oferta de residentes

  • PorIsadora Rupp, com Agência Brasil
  • 27/08/2010 21:05

O Ministério da Educação (MEC) recusou ontem a contraproposta dos médicos-residentes e manteve a oferta de reajuste de 20% no valor da bolsa-auxílio (hoje em R$ 1.916,45). Os residentes, em greve em vários estados do país desde a semana passada, pediram que a correção imediata fosse de 28,7% e outros 10% fossem reajustados em setembro de 2011. Os médicos negam a proposta do governo.

A comissão que julga o caso, formada por representantes do Ministério da Saúde, MEC e conselhos regionais de Saúde, declarou em ofício que o porcentual proposto pelo governo "reflete as possibilidades orçamentárias atuais". O MEC informou que as novas negociações dependem do fim da paralisação, quando um grupo de trabalho deverá discutir formas de melhorar as condições de trabalho dos residentes e o aumento da bolsa-auxílio.

No Paraná, a greve continua e novas manifestações estão programadas para segunda-feira, com concentração dos estudantes em frente ao Hospital Evangélico pela manhã. Ontem, cerca de 350 pessoas fizeram uma caminhada do Hospital das Clínicas até o Hospital Santa Casa, na Praça Rui Barbosa. Segundo a Associação dos Médicos-Residentes do Paraná (Amerepar), cerca de 250 dos 700 residentes de Curitiba aderiram à greve.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) instaurou, na quinta-feira, um inquérito civil público para investigar os efeitos ocasionados pela greve dos médicos-residentes no estado. "Essa situação não deveria afetar o atendimento. Se houve cancelamentos, foi uma falha do hospital e reflexo da falta de médicos", afirma a vice-presidente da Amerepar, Lisa Uchimura.

Salário

De acordo com o advogado Marcelo Augusto de Araújo Campelo, a residência médica tem caráter de pós-graduação e a bolsa-auxílio não tem natureza salarial ou de emprego, conforme a Lei n.º 6.932/81. "Os residentes são orientados pelos profissionais. O que observo é que os serviços médicos estavam dependendo dos residentes. Isso não pode acontecer, já que configura uma relação de emprego." O advogado explica que, pela lei, não haveria motivos para a paralisação. "Eles podem até perder a bolsa e serem excluídos da especialização, dependendo do contrato de ensino firmado com a instituição. Mas, como existe a queixa dos residentes de estarem trabalhando, é necessário que os dois lados sejam vistos."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.