Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Greve dos ônibus tem efeito no trânsito de Curitiba | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Greve dos ônibus tem efeito no trânsito de Curitiba| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

No dia em que a greve de ônibus completou uma semana em Curitiba, a cidade registrou 110 quilômetros de congestionamento perto das 8h. Segundo dados da MapLink, a lentidão ainda é um pouco menor que a registrada na segunda-feira (20), quando a cidade amanheceu com chuva e registrou 142 quilômetros de congestionamento. Nesse mesmo horário, nos três primeiros dias de paralisação, os índices ficaram entre 110 e 117 quilômetros.

TEMPO REAL: Acompanhe informações sobre a greve dos ônibus em Curitiba

A média histórica de vias congestionadas para as 8 horas da manhã em Curitiba para o mês de março não ultrapassa os 94 quilômetros em nenhum dia da semana.

Além dos dados gerais, a MapLink também divulga informações dos corredores de trânsito. Na manhã desta terça (21), havia 69 corredores com trânsito intenso ou lento, contra 36 em que o trânsito fluía livremente. Na lista dos engarrafados, estavam as principais ligações para o centro da cidade: avenidas Manoel Ribas, avenida Cândido de Abreu, João Gualberto, Visconde de Guarapuava e Presidente Kennedy, rua Ubaldino do Amaral e a rápida do Portão/Capão Raso.

A situação não é complicada apenas para os motoristas. Quem depende de ônibus sofre, mais uma vez, com a frota circulando abaixo do mínimo estipulado pela Justiça. Nos horários de pico, das 5h às 9 horas, 50% da frota deveria estar circulando, entretanto, às 7h30 desta terça-feira, o Centro de Controle Operacional na Urbs registrava apenas 47,8% dos ônibus em operação. Às 6h30, esse valor era ainda menor, 35%.

Nova tentativa de acordo

Sindimoc e Setransp - sindicatos que representam, respectivamente, os cobradores e motoristas e as empresas de transporte - avançaram nesta segunda-feira (20) nas negociações para pôr fim à greve de ônibus. Mesmo assim, o futuro do transporte público da capital paranaense só será decidido na Justiça.

Caso exista acordo na audiência desta terça-feira (21), às 14h30, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a greve se encerra. Se não houver acordo, o dissídio coletivo deve ir a julgamento na Justiça do Trabalho

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]