i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Invasão

Hackers invadem site e divulgam dados de 50 mil policiais militares do Rio

Disponibilizado para download na quinta-feira (12), o arquivo, de 8.900 páginas, contendo e-mails, telefones, endereços e CPFs dos policiais, foi retirado do ar no sábado (14)

  • PorFolhapress
  • 15/09/2013 13:09

Policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática investigam quem são os responsáveis por invadir o site da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) e divulgar no Facebook dados pessoais de 50 mil agentes da corporação.

Disponibilizado para download na quinta-feira (12), o arquivo, de 8.900 páginas, contendo e-mails, telefones, endereços e CPFs dos policiais, foi retirado do ar no sábado (14).

O grupo responsável pela invasão promete novas ações nos próximos dias. Recentemente, invasões semelhantes ocorreram nos sites do Ministério Público Estadual, da Assembleia Legislativa, da Câmara de Vereadores e do Departamento Estadual de Trânsito do Rio (Detran-RJ). As autorias das violações foram reivindicadas por diversos grupos que apoiam as manifestações, criticam a ação da polícia nos protestos e a prisão de integrantes Black Blocs.

Em nota, a PMERJ se limitou a dizer que lamentou o fato e que todas as providências já foram tomadas. Procurado pela reportagem, o titular da DRCI, Gilson Perdigão, não quis comentar o caso.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.