i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Acidente

Idosa cai de avião em Maringá ao desembarcar com cadeira de rodas

Vítima fraturou uma costela e sofreu um edema pulmonar após a cadeira de rodas em que estava se soltar de uma esteira

  • PorFolhapress
  • 26/12/2014 18:08

Uma mulher de 79 anos recém-operada que desembarcava de um voo da Gol em Maringá (PR), na noite de Natal, fraturou uma costela e sofreu um edema pulmonar após a cadeira de rodas em que estava se soltar de uma esteira usada pela empresa aérea na retirada da passageira do avião.

Eliane Almeida Figueira, 37, filha de Waldereza, disse que funcionários da Gol deixaram de travar as rodas da cadeira no equipamento que faria, da aeronave até o solo, o transporte de sua mãe.

"Eles não apertaram todas as travas, e mesmo com um funcionário segurando a cadeira, ela se soltou na escada e desceu. Outro funcionário que seguia na frente também não conseguiu segurá-la. A situação só não foi mais trágica porque meu filho, que já estava no solo, conseguiu segurar a avó, após um forte impacto entre eles", contou a filha.

A passageira usava cinto de segurança na cadeira no momento do acidente, segundo Eliane.

A família havia saído de Campo Grande (MS) e desembarcara em Maringá na noite de Natal para uma conexão com destino a Salvador (BA).

A viagem era um presente dado à passageira como forma de compensar os problemas de saúde enfrentados por ela durante o ano. "Devido ao trauma, minha mãe desistiu do pacote de viagem à Bahia", disse a filha.

Com dores, a mulher foi encaminhada pelos bombeiros do aeroporto Silvio Name ao hospital Santa Rita, onde foi constatada a fratura na costela e o edema pulmonar. Ela só foi liberada na tarde de sexta-feira (26). Mas, segundo os médicos, terá de ficar 60 dias de repouso.

Eliane afirma que houve despreparo da Gol e que, após o acidente, funcionários da companhia aérea ficaram "paralisados" e "sem reação". "Eu e outros passageiros que buscamos o socorro", afirmou.

De acordo com ela, representantes da empresa estiveram no hospital e lamentaram o ocorrido. "Mas ficou somente nisso. O hospital, que é particular, foi pago pelo plano de saúde que temos. Para meu filho, providenciaram um hotel e um voucher de R$ 30 para alimentação. Eu dormi no hospital com minha mãe e agora vamos para o hotel."

Eliane afirmou que, até o inicio da noite desta sexta (26), ainda não tinha a confirmação da empresa se receberia as passagens para a família retornar à Campo Grande no sábado.

"Estou esperando me ligarem. Também quero o ressarcimento do pacote de viagem que perdemos [avaliado em R$ 10 mil, segundo ela]. Mas, acima de tudo, é necessário que a empresa treine melhor seus funcionários para situações como esta não voltem a ocorrer", afirmou.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Gol disse que "lamenta o ocorrido e ressalta que a cliente tem recebido toda a assistência necessária".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.