Paraíba

Em João Pessoa, movimento tem maioria de classe média

Cerca de 40 jovens participaram ontem de um "rolezinho" no Shopping Tambiá, no centro de João Pessoa. O evento foi marcado pelas redes sociais e, ao contrário do que vem ocorrendo em São Paulo, contou com a participação de poucos jovens da periferia. A grande maioria dos presentes era de universitários e estudantes do ensino médio, que integram movimentos estudantis. A segurança no shopping foi reforçada. O número usual de seguranças por andar passou de quatro para dez.

A onda dos "rolezinhos", encontro marcados pelos jovens nos shoppings, começou em dezembro, em São Paulo, mas já chegou a outros estados. Em Curitiba, há dois eventos marcados pela rede social Facebook, para encontros entre jovens no Pátio Batel. Até as 19h de ontem, cerca de 570 usuários confirmaram presença no #Rolezinho no Batel e no Rolezin no Batel. Um dos eventos é público e não tem organizadores definidos. O outro tem seis organizadores. Ambos estão marcados para daqui a duas semanas, no domingo (26), a partir das 15h. Os jovens citam o apoio aos integrantes dos rolezinhos de São Paulo, que teriam sido criminalizados.

A Justiça de São Paulo vetou ontem mais três "rolezinhos" programados pelas redes sociais nos Shoppings Metrô Tatuapé e Metrô Boulevard Tatuapé, na Radial Leste, zona leste da capital paulista. O primeiro está agendado para este sábado, 18. Os próximos para 26 de janeiro e 22 de fevereiro.

Um oficial de Justiça será designado para citar manifestantes que realizarem tumultos. "É de rigor estabelecer o limite e impedir a aglomeração de pessoas cujo objetivo precípuo é a realização de tumulto e vandalismo", afirmou o juiz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]