i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
polêmica

Justiça decide soltar irlandês preso por venda irregular de ingresso da Olimpíada

Kevin Mallon permanecia preso porque o estado do Rio de Janeiro não tinha tornozeleiras eletrônicas

    • Folhapress Web
    • 27/08/2016 20:48

    A Justiça determinou a liberação do irlandês Kevin Mallon, 56, preso desde o dia 5 de agosto sob a acusação de venda irregular de ingressos para a Olimpíada.

    Falta de tornozeleira eletrônica impede que cambista da Olimpíada deixe a prisão

    Preso desde o início de agosto, o irlandês Kevin James Mallon deveria ter sido libertado na última sexta-feira (26).

    Leia a matéria completa

    A decisão foi proferida na sexta-feira (26) pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas Mallon permaneceu na cadeia porque o estado do Rio não tem tornozeleiras eletrônicas.

    Neste sábado (27), seus advogados obtiveram uma nova decisão, na Justiça do Rio, determinando a liberação sem as tornozeleiras.

    “Ele não pode ficar preso em função da não existência do equipamento”, alegou o advogado Franklin Gomes. Segundo ele, a expectativa é que Mallon deixe o presídio ainda na noite deste sábado.

    O irlandês teve o passaporte retido e terá de aguardar o fim do processo no Brasil.

    Mallon é diretor da empresa THG, que, segundo a polícia, não estaria autorizada e vender ingressos para os Jogos. Com ele, foram apreendidos 813 ingressos. Desses, 84 foram destinados ao comitê irlandês. Havia ainda bilhetes dos comitês da Letônia, Eslovênia, Chile, Paraguai, Guatemala, Panamá e Barbados, além da própria Irlanda.

    Gomes diz que seu cliente nega as acusações.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.