i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Escolas e universidades

Justiça declara greve dos professores estaduais irregular

Desembargador Luiz Mateus de Lima determinou retorno imediato às salas de aula e aumentou multas aplicadas em caso de descumprimento

  • PorAntonio Senkovski
  • 27/04/2015 17:35
 | Brunno Covello/Gazeta do Povo
| Foto: Brunno Covello/Gazeta do Povo

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinou nesta segunda-feira (27) que os professores das escolas e das universidades estaduais voltem imediatamente ao trabalho. As duas categorias retomaram suas respectivas greves, interrompidas em março, por causa da votação do projeto que altera as regras do Paranaprevidência. As decisões são do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba, assinadas pelo desembargador Luiz Mateus de Lima. Há previsão de multas diárias de R$ 40 mil e R$ 10 mil para professores estaduais e de universidades, respectivamente.

O desembargador Luiz Mateus de Lima considerou a greve irregular por entender que houve descumprimento de decisão judicial. Em fevereiro, o governo já havia procurado a Justiça e tinha obtido liminares que determinavam a suspensão das greves. Como as greves foram interrompidas, as multas previstas na época não foram aplicadas. Mas agora, com o entendimento de desobediência às decisões, a APP-Sindicato, que representa os servidores do ensino fundamental e médio do Paraná, teve o valor da multa resgatado e reajustado: subiu de R$ 20 mil para R$ 40 mil em caso de descumprimento. Já a multa diária para nove entidades sindicais, do ensino superior, passará de R$ 3 mil para R$ 10 mil.

Deputados divergem sobre o fechamento das galerias; Justiça declara greve irregular

Presença da PM tenta garantir que deputados votem projetos durante a próxima semana mesmo sob pressão de servidores

Leia a matéria completa

No caso da greve dos professores, cujo réu é a APP Sindicato, há a previsão de cinco dias para que a entidade sindical comprove que comunicou todos os seus filiados do teor da decisão. A multa para o descumprimento dessa determinação é de R$ 500 por dia ao próprio presidente da APP.

No caso das universidades, a determinação do juiz também é para que todos os filiados a sindicatos das universidades estaduais sejam comunicados em até cinco dias. No caso de descumprimento, quem será responsabilizado é o presidente do Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg) e terá de pagar multa de R$ 500 por dia.

Outro lado

Marlei Fernandes, uma das diretoras da APP Sindicato, disse que a entidade sindical ainda não foi notificada oficialmente da decisão. “A orientação até o momento é para a continuidade do movimento. Nós temos um pré-levantamento e chegamos ao número de que 80% da categoria aderiu à greve neste primeiro dia da retomada. Fomos forçados a isso, infelizmente a pauta do ‘diálogo’ que o governo sempre propaga como uma verdade, é uma mentira. A população vê que é mentira, o povo vê a quantidade de policiais aqui no Centro Cívico.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.