i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Brasília

Justiça do DF nega liminar para suspender obras de Museu da Bíblia

  • PorGazeta do Povo
  • 02/10/2020 12:25
Justiça do DF nega liminar para suspender obras de Museu da Bíblia
| Foto: Unsplash

A 7ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal negou pedido liminar para suspensão das obras de construção do Museu da Bíblia, em Brasília. A ação civil pública foi proposta pela Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) contra o Distrito Federal e seu governador.

Segundo a Atea, a previsão do uso de R$ 80 milhões em emendas parlamentares para o projeto, uma construção de 10 mil metros quadrados, atende a interesses religiosos que afrontariam a laicidade do Estado.

O governo do Distrito Federal, em defesa do projeto, respondeu que não existe necessidade de uma decisão liminar, de urgência, contra um inexistente periculum in mora (risco da tomada de uma decisão tardia) em relação a uma obra que ainda está em estudos preliminares, não houve licitação e que deve ser encaminhada para aprovação da Câmara Legislativa por meio de Projeto de Lei complementar. Alegou ainda que "o museu não seria um templo religioso", "a Bíblia é patrimônio histórico da humanidade" e que "a laicidade do Estado não significa que deva ser ignorado o reflexo cultural do livro mais influente da sociedade brasileira".

O juiz de primeira instância Paulo Afonso Cavichioli Carmona aceitou as alegações do governo do Distrito Federal. Cabe recurso da decisão.

* Leia a sentença:

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • D

    Destemido

    ± 0 minutos

    A ateia está atoa na vida... mas um grupelho a serviço do cão.....

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]