i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Ambiente

Justiça mantém embargo a condomínio de luxo em marginal de SP

Pedido da Golf Village para liberar as obras do condomínio de luxo Parque Global, ao lado do Parque Burle Marx, na zona sul de São Paulo, foi negado

  • PorAgência Estado
  • 26/08/2014 12:29

O desembargador Eutálio Porto, da 12ª Vara da Fazenda Pública, negou pedido da Golf Village para liberar as obras do condomínio de luxo Parque Global, ao lado do Parque Burle Marx, na zona sul de São Paulo. O empreendimento já havia sido barrado pela Justiça há duas semanas, após ação movida pela Associação Morumbi Melhor.

Mais uma vez o juiz apontou que as obras do condomínio, feitas com licença emitida em maio de 2013 pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), resultaram no corte de 1.787 árvores que formavam "manchas contínuas de vegetação superiores a 10 mil metros quadrados", em área de preservação permanente, na várzea do Rio Pinheiros. A obra também fica ao lado do Parque Burle Marx, área que concentra espécies nativas de Mata Atlântica.

"Destacando ainda que essa vegetação era predominantemente formada por espécies nativas, sendo certo ainda que a supressão atingiu diversas espécies, a maioria nativas do bioma Mata Atlântica", destacou o desembargador em sua decisão. A construtora nega qualquer irregularidade na obra e pretende recorrer de novo.

A nova sentença também levou em consideração laudo feito a pedido do Ministério Público Estadual que apontou o impacto do projeto e problemas no licenciamento ambiental da obra.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.