i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
curitiba

Justiça suspende atividades em loteamento no Cachoeira

A ação foi ajuizada após o MP-PR receber, em 2012, denúncia de corte de árvores de mata nativa e loteamento irregular de terreno localizado no bairro, no entorno do Parque Barreirinha

  • PorGazeta do Povo
  • 06/08/2013 13:54

Uma decisão liminar expedida pelo Poder Judiciário do Paraná no final de julho determinou que os responsáveis por um loteamento no bairro Cachoeira, na região Norte da cidade, suspendam a realização de qualquer intervenção no imóvel, localizado em mata nativa. A informação foi divulgada nesta terça-feira (6) pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), autor da ação civil pública ambiental que aponta irregularidades no lote. Com isso, estão proibidas vendas de unidades, abertura de ruas, ampliação ou construção de edificações e desmate da vegetação no local.

A ação foi ajuizada após a promotoria receber, no ano passado, denúncia de corte de árvores de mata nativa e loteamento irregular de terreno localizado no bairro Cachoeira, no entorno do Parque Barreirinha, que é uma unidade de conservação de Curitiba.

Em vistoria realizada no início deste ano, o MP-PR constatou que, além do desmate de área de bosque nativo relevante e do loteamento irregular do terreno, existem ainda dois barracões industriais, onde supostamente estariam instaladas duas empresas, além de dez casas já edificadas e habitadas. Possivelmente, as edificações não possuem autorização do órgão ambiental do município.

A Promotoria sustenta ainda que há casas sem ligação com rede de esgoto. Em pelo menos um imóvel, segundo o órgão, foi constatado o despejo de efluentes em direção ao fundo de vale no imóvel, configurado como Área de Preservação Permanente.

No mérito da ação, o Ministério Público pede a demolição das construções irregulares já feitas em área de bosque nativo, bem como a recuperação de toda a área desmatada.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.