i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comportamento

Lei antifumo é aceita por maioria curitibana

Em um ano, apenas 69 infrações foram emitidas diante de 17 mil inspeções feitas em estabelecimentos comerciais da capital

  • PorManoela Salazar, especial para Gazeta do Povo
  • 27/08/2010 21:05
Aceitação da lei antifumo por clientes de bares surpreendeu até os donos dos estabelecimentos | Valdecir Galor/SMCS
Aceitação da lei antifumo por clientes de bares surpreendeu até os donos dos estabelecimentos| Foto: Valdecir Galor/SMCS

No primeiro ano da lei antifumo de Curitiba, 69 estabelecimentos comerciais da capital foram autuados pela Vigilância Sani­­tária. O número representa apenas 0,4% das 17 mil inspeções feitas no período, o que demonstra a aceitação da maioria dos curitibanos à norma. Os dados fazem parte de um relatório do Centro de Saúde Am­­biental (CSA) da Secretaria Muni­cipal de Saúde. No topo do ranking das multas estão bares, lanchonetes, restaurantes e casas noturnas, mas supermercados e shoppings também foram punidos.

"Estamos entrando na fase de sustentabilidade da lei quando a fiscalização começa a perceber que a lei já está incorporada no comportamento dos curitibanos", diz Sezifredo Paz, diretor do CSA. Para o médico João Alberto Lopes Rodrigues, coordenador do Programa Municipal de Controle do Tabagismo, um dos fatores que beneficiou o cumprimento da lei foi a taxa de fumantes em Curitiba, em torno de 19%. "Uma minoria da população deixava os ambientes de uma maneira insalubre. A lei eliminou esse problema e o próprio fumante aderiu a isso por saber que a fumaça não é nociva apenas para ele", diz.

Para o professor de Adminis­­tração Municipal do curso de Direito da Universidade Federal do Paraná, Rodrigo Kanayama, a lei antifumo é aceita por ser uma norma razoável e trabalhar o direito da saúde. "É uma norma que atende aos anseios da maior parte das pessoas", afirma. Segundo o presidente da Asso­­ciação Nacional dos Terapeutas em Dependência Química, Marino de Oliveira, a lei faz com que o fumante avalie seus hábitos e pode levá-lo a parar de fumar. "O fumante tem que parar o que está fazendo, se afastar das pessoas e perde a continuidade da atividade para queimar um cigarro", explica.

Proprietários de alguns bares da cidade também aprovam a lei. No caso do bar Aos Democratas, o número de fregueses aumentou depois da lei. "Muita gente que deixava de vir por causa do cigarro não tem mais esse problema", conta o sócio-proprietário Leandro Teixeira. "Como empresário, achei a lei muito boa, principalmente para meus funcionários que ficam livres da exposição à fumaça", avalia Alessandro Reis, dono dos bares Crossroads e Matriz e Filial.

Fiscalização

Dos 69 estabelecimentos autuados em Curitiba, 26 recorreram da multa e 24 estão em dívida ativa com o município. A multa é de R$ 1 mil e dobra em caso de reincidência. As ações de fiscalização ocorrem principalmente nos fins de semana. Embora a sanção da Lei 13.254 tenha completado um ano em 19 de agosto, as normas passaram a valer em novembro de 2009.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.