O número de ciclistas mortos em acidentes tem aumentado nas rodovias da região Noroeste. Somente na área de responsabilidade da concessionária Viapar, o número de vítimas aumentou 250% este ano. Foram sete mortes, cinco a mais do que em 2009.

Segundo o coordenador do Centro de Controle e Operações (CCO) da Viapar, Gesivaldo Amâncio Primo, 95% desses registros acontecem no período noturno, quando as pessoas estão retornando do trabalho e a visibilidade é menor. "Por isso, neste horário, a atenção tanto por parte dos motoristas quando dos ciclistas, deve ser redobrada, principalmente em locais próximos da entrada de cidades", explicou em nota repassada para a imprensa.

Apesar do crescimento das mortes, o número de ciclistas feridos caiu de 26 (três com ferimentos graves) para 14 (quatro em situações graves). Dos vinte acidentes envolvendo ciclistas este ano, a maior parte (nove) ocorreu por colisão traseira. Já em sete o impacto foi lateral.

Atenção redobrada

Primo lembra que de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, ao ultrapassar um ciclista o condutor de um veículo deve reduzir a velocidade de forma compatível com a segurança, além de respeitar a distância lateral de, no mínimo, um metro em meio.

Além disso, durante uma manobra ou mudança de direção, o motorista deve ceder a passagem para pedestres ou ciclistas, sempre respeitadas as normas de preferência de passagem.

Por outro lado, os ciclistas não pode circular na contramão. "Quando não houver vias específicas ou acostamento, eles estão autorizados a trafegar na borda das faixas, sempre no mesmo sentido dos carros e tendo a preferência sobre eles", ressaltou nota da Viapar.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]