Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A expectativa é atender pelo menos 4 mil crianças  que vivem em situação de vulnerabilidade social em Maringá, Sarandi e Paiçandu | Divulgação PMM
A expectativa é atender pelo menos 4 mil crianças que vivem em situação de vulnerabilidade social em Maringá, Sarandi e Paiçandu| Foto: Divulgação PMM

A campanha Papai Noel dos Correios teve início em 5 de dezembro e será encerrada nesta sexta-feira (13). Mas ainda faltam 150 cartinhas para serem atendidas. A expectativa é presentear pelo menos 4 mil crianças que vivem em situação de vulnerabilidade social em Maringá, Sarandi e Paiçandu.

De acordo com o gerente regional dos Correios em Maringá, Carlos Mariani, as 150 cartinhas restantes já haviam sido adotadas, mas os responsáveis pelos presentes não foram até os Correios para fazer a entrega. "Como não recebemos os presentes até esta quinta-feira e o prazo está quase no final, pedimos que outras pessoas nos procurem, para atender o que falta. Temos a lista completa aqui."

Apesar de a lista ainda aguardar "bons velhinhos" até o último momento, a coordenadora do projeto, Telma Marega, garante que nenhuma criança ficará sem presente. "Já estamos correndo contra o tempo, ligando para os conhecidos, amigos, parentes e pedindo ajuda. Todas as crianças receberão o que pediram."

As crianças beneficiadas com o projeto têm até dez anos e vivem nas regiões mais carentes dos municípios participantes. Quem desejar apadrinhar uma criança deve ir até a uma agência dos Correios - na Avenida Brasil ou na Avenida Mauá, já que a agência central (ao lado da Prefeitura) passa por reformas -, e solicitar a lista.

De acordo com a assessoria dos Correios, nos últimos três anos foram recebidas 3,4 milhões de cartas. Deste total, foram selecionadas pouco mais de 2 milhões de cartas e adotadas 1,5 milhão. Neste período, o projeto envolveu 120 mil empregados dos Correios, além de mais de 12 mil voluntários.Outras informações da campanha podem ser obtidas pelo telefone 0800 725 7282.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]