A Operação Carga Pesada, deflagrada na manhã desta terça-feira (14) pela Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (Dedc), de Curitiba, prendeu dez pessoas acusadas de integrar uma quadrilha de roubo, desvio e receptação de cargas roubadas que atuava no Sul e Sudeste do Brasil. O grupo contava com três homens em Maringá, que foram presos. A quadrilha agia em estradas roubando cargas de eletroeletrônicos, comida, roupas e pneus. De acordo com a polícia, em pelo menos seis ações o prejuízo causado foi superior a R$ 1 milhão.

A ação foi coordenada Dedc, com apoio da Polícia Civil do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

Cerca de 50 policiais civis paranaenses cumpriram diversos mandados de prisão e de busca e apreensão no Paraná (Toledo, Cascavel e Maringá), Rio Grande do Sul (Santa Rosa) e São Paulo (Valinhos). Até o final da manhã desta terça haviam sido apreendidos radiocomunicadores e mercadorias roubadas, como calças, chocolates, produtos de limpeza e acessórios de veículos. O número total de prisões, contudo, não havia sido divulgado.

Em Maringá, foram presos Manoel Bravo Coco (conhecido como Manolo), 43; Valdecir Roberto da Silva (conhecido como Beto), 41; e Valdecir José Ferreira Ramos, 44. Os três foram presos em casa, por volta das 6h, acusados de integrar a quadrilha.

Também foi fechada a empresa F.J. Sanches e Silva Ltda, que pertencia a Coco e Silva, onde foram encontradas cerca de 30 caixas de rolamentos vindos ilegalmente do Paraguai. As informações são do Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce) de Maringá.

Toledo

Em Toledo foi preso Onézio Fagundes Ferreira, 40 anos, conhecido como "Mamute", apontado como líder do grupo. Também foram presos na cidade Pedro Ferreira da Silva Filho, 32 anos, e Osmar de Oliveira, 38; segundo os policiais, o primeiro estava com uma carga roubada na semana passada e o segundo fazia o transporte dos produtos. Em Cascavel foram detidos José Sidney Fabro, 42 anos, acusado de negociar materiais roubados; Amarildo Antonio Fernandes de Lima, 39, apontado como auxiliar de Ferreira; e Aldo Renato dos Santos, 40, que segundo a polícia obtinha informações das empresas de transporte e as repassava para a quadrilha.

Investigações

Segundo o delegado titular da Delegacia de Estelionato de Curitiba, Marcus Vinícius Michelotto, as investigações começaram em novembro do ano passado, depois que os policiais apreenderam uma carga de pneus roubados em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba (RMC). Em abril deste ano, quatro pessoas foram presas em um barracão em Araucária, também na RMC, onde estava depositada uma carga de sapatos roubados avaliada em cerca de R$ 500 mil. "Começamos a mapear a quadrilha. É uma quadrilha especializada, com pessoas que fazem levantamentos nas transportadoras", afirmou o delegado. "Eles descobriam se os caminhões tinham GPS, algum sistema de segurança ou batedores. Outro grupo seguia o caminhão e o abordava." O grupo tinha caminhões para transportar as cargas, mas nenhum veículo foi apreendido ontem.

Segundo a polícia, a quadrilha era baseada em Cascavel, no Oeste do estado, e em Santa Rosa (RS). Seis assaltos realizados neste ano pelo grupo já teriam sido identificados pelos policiais. Nestas ações foram roubadas cargas de pneus, alimentos, tecidos, roupas e equipamentos de informática, de acordo com Michelotto. "É uma das maiores quadrilha de roubo de cargas da região Sul e outras pessoas deverão ser presas amanhã (hoje)", afirmou o delegado. Ele disse que não há registro de violência física contra motoristas. "Eles faziam ameaças e mantinham os motoristas presos até a baldeação da mercadoria."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]