i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Vigilância

Ministério nega ordem de Catanduvas

  • PorDa Redação
  • 19/10/2009 21:04

O Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão do Ministério da Justiça, nega que a ordem para os ataques de sábado tenha partido de traficantes presos na Penitenciária Federal em Catanduvas, no Oeste paranaense. Em nota divulgada pela assessoria de comunicação do ministério, o Depen repudia a informação, atribuída à Polícia Civil do Rio.

Ainda segundo a nota, na ma­­nhã de ontem, em conversa por te­­le­­fone com o diretor do Sistema Penitenciário Federal, Wilson Da­­ma­­zio, o secretário de Segurança Pública do Rio, Mariano Beltrame, negou veementemente que a in­­for­­mação tenha partido da inteligência da Polícia Civil fluminense. O ministério informa que já pôs as penitenciárias federais à disposição do governo do Rio caso haja necessidade de novas transferências de presos.

Atualmente, 26 detentos do Rio cumprem pena em penitenciárias federais de segurança máxima. Segundo o Ministério da Justiça, os serviços de inteligência do Depen e da Secretaria de Segurança Pública do Rio mantêm contato diário para monitorar a situação dos presos sob a guarda dos presídios federais.

De acordo com o governo, as unidades federais contêm o que há de mais moderno em termos de equipamentos de segurança, além de sofisticados sistemas de inteligência e agentes especialmente treinados. Em mais de três anos de funcionamento, não houve registro de morte, fuga, rebelião ou entrada de aparelhos telefônicos celulares ou de armas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.