i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Perigo

Morro com 102 barracos pode desabar

  • Por
  • 08/04/2010 21:04

Entre as 130 favelas que, segundo a prefeitura do Rio, correm risco de desabar, está o Morro do Bananal, na Tijuca, zona norte. O local tem 102 barracos, todos condenados. Apesar do risco iminente e de constar da lista de remoção, a comunidade não recebe a visita de representantes do município desde o ano passado.

Parte da favela está sem energia por causa do desabamento de uma encosta na terça-feira. Há terra acumulada no entorno e grandes pedras estão soltas, colocando em risco toda a comunidade. "Passamos a noite ligando para a Defesa Civil, mas não conseguimos falar. Nós estamos tentando limpar o que podemos", disse o presidente da Associação de Moradores do Bananal, Edmilson da Conceição Carlos.

Enterro

Cem pessoas estiveram ontem no cemitério São Francisco de Paula, no bairro do Catumbi, para o enterro do menino Marcus Vinicius Vieira de França da Mata, 8 anos. Ele permaneceu cerca de 12 horas com vida debaixo dos escombros da casa onde estava, no Morro dos Prazeres. Como o resgate só pode ser concluído na manhã de quarta-feira, o menino foi resgatado sem vida, o que comoveu os bombeiros e a comunidade. "Eu o tirei de dentro da minha casa porque o muro caiu. Mandei para a casa da minha prima para ele ficar seguro, não deu 30 minutos e o barranco desabou sobre a casa", disse a mãe dele, Rosilene.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.