i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
curitiba

Movimentos unificam pauta de ato marcado para amanhã

  • PorThomas Rieger, especial para a Gazeta do Povo
  • 27/06/2013 21:09
Manifestante no Rio de Janeiro: atos continuam em todo o país | Pilar Olivares/ Reuters
Manifestante no Rio de Janeiro: atos continuam em todo o país| Foto: Pilar Olivares/ Reuters

Acusado de vandalismo diz estar arrependido

Antônio Senkovski

O rapaz que aparece em imagens dando socos em uma câmera da estação-tubo Comendador Fontana, durante o protesto do dia 21, em Curitiba, se entregou à Guarda Municipal na última quarta-feira. O estudante de 21 anos disse ter agido por impulso. Segundo ele, o vandalismo foi uma reação por ele ter levado um tiro de bala de borracha. Na apresentação, o rapaz relatou que quebrar o tubo foi uma maneira de descarregar a raiva que sentiu. Mesmo assim, disse estar arrependido de ter cometido o ato.

Durante a manifestação, o patrimônio público sofreu prejuízos avaliados em R$ 1,5 milhão, segundo a prefeitura. O rapaz vai ser julgado por danos ao bem público e pode ter de pagar uma indenização por danos materiais.

Para evitar a falta de foco que marcou os últimos protestos em Curitiba, cerca de 70 centrais sindicais e movimentos sociais se organizaram para promover amanhã uma manifestação unificada, com reivindicações específicas. Entre elas, a exigência de uma reforma política ampla e com participação popular, a desmilitarização da polícia e uma maior transferência de recursos para saúde e educação. Em coletiva de imprensa com representantes da Central Única de Trabalhadores (CUT), APP Sindicato, Conlutas, Sindicato dos Bancários e Frente de Luta pelo Transporte Público de Curitiba foram discutidos detalhes do evento.

O protesto de sábado está marcado para as 10 horas, com concentração na Boca Maldita, e ainda não tem trajeto definido ou expectativa de público – o evento no Facebook conta com 3,5 mil pessoas confirmadas. Os organizadores orientam que as pessoas venham de cara limpa, sem máscaras ou lenços no rosto, e que mantenham o caráter pacífico da passeata.

Desta vez, a participação de partidos será incentivada e os integrantes da organização tentarão impedir que manifestações contrárias a eles aconteçam. "Vamos buscar educar as pessoas e, caso tentem expulsá-los do ato, pretendemos interferir e explicar que os partidos são importantes na democracia", contou o representante da Frente de Luta pelo Transporte Público de Curitiba, Alexandre Boeing.

Greve geral

De acordo com os sindicatos, Curitiba vai aderir à greve geral convocada para o dia 11 de julho. Entre as pautas principais, está o pedido de redução da jornada de trabalho e uma reforma do fator previdenciário. A organização do ato de sábado garantiu que essa é uma paralisação legítima e formalizada, diferentemente daquela marcada para o dia 1.º de julho, organizada apenas pelo Facebook.

Nas redes sociais, é possível encontrar diversas manifestações marcadas para acontecer nos próximos dias. Os organizadores ressaltaram que não têm qualquer vínculo com elas. "Encaramos a participação popular como algo legítimo, mas pedimos que as pessoas tenham clareza em relação às bandeiras que levantam", comentou André Castelo Branco, do Sindicato dos Bancários.

Resumo do diaVeja outras notícias relacionadas aos protestos no país:

CPI em São Paulo

Vereadores de São Paulo aprovaram uma CPI para investigar os contratos de ônibus. Ela será controlada pela base do prefeito Fernando Haddad (PT) na Câmara. Só um dos sete integrantes da comissão será da oposição.

Aeroportos

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras informou que irá fazer uma série de manifestações na próxima terça-feira nos aeroportos das principais capitais brasileiras. Segundo nota publicada em seu site, a CTB informa que o objetivo é "fortalecer esse momento de mobilização".

"Belíndia"

O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcelo Neri, afirmou que os protestos no país não estão sendo realizados pelos mais pobres. "Pessoas que estão no lado belga da "Belíndia" talvez tenham razões para não estarem satisfeitas", disse. A expressão "Belíndia", criada pelo economista Edmar Bacha, define as desigualdades do Brasil, que mistura a riqueza da Bélgica e a miséria da Índia. Neri disse que a renda dos 10% mais pobres no país cresceu 550% mais rápido do que a dos 10% mais ricos.

6 mortes

Subiu para seis o número de mortes ligadas à onda de manifestações pelo país. Em Belo Horizonte, o estudante Douglas Henrique Oliveira, de 21 anos, morreu ontem. Ele caiu de um viaduto em protesto na quarta-feira. No mesmo dia, um jovem de 16 anos morreu atropelado por um caminhão que desviou de uma manifestação em Guarujá (SP).

Bombas acabam

A Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro precisou empenhar (reservar no orçamento para pagamento posterior) R$ 1,6 milhão para repor emergencialmente o estoque de bombas de gás lacrimogêneo do Batalhão de Choque da Polícia Militar, que ficou praticamente zerado após a onda de protestos que teve início em 6 de junho no Rio.

Tinta rosa

Para enfrentar vândalos que estão se aproveitando das manifestações para depredar o patrimônio público e saquear lojas, a Guarda Municipal de Campinas está usando tinta rosa. Segundo a Guarda, a marcação tem um efeito moral e inibidor do vandalismo.

Passe livre

Os estudantes do Rio Grande do Sul terão passe livre nos ônibus intermunicipais em quatro macrorregiões, entre elas a Grande Porto Alegre. Foi o segundo estado a tomar essa iniciativa. Na terça-feira, a Assembleia Legislativa de Goiás aprovou projeto que cria o passe livre a estudantes da região de Goiânia cadastrados em programas sociais estaduais e federais. (Das agências)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.