Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) confirmou na manhã desta segunda-feira (11) que vai oferecer denúncia contra os profissionais indiciados pelo Núcleo de Repressão aos Crimes Contra a Saúde (Nucrisa), da Polícia Civil, suspeitos de antecipar mortes em uma das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Evangélico de Curitiba. O protocolo na Vara de Inquéritos Policiais irá ocorrer nesta tarde.

A assessoria de imprensa do MP-PR não informou se todos os indiciados pela polícia serão denunciados. Os detalhes devem ser conhecidos ao longo dessa tarde.

O Nucrisa concluiu o inquérito na última segunda-feira (4) e indiciou cinco pessoas. A Promotoria de Proteção à Saúde Pública tinha cinco dias para oferecer ou não a denúncia, o prazo termina nesta segunda-feira.

Quatro médicos e uma enfermeira estão presos. Todos negam as acusações. Virgínia Soares de Souza, que chefiava a UTI Geral do Evangélico, está presa desde 19 de fevereiro.

A médica concedeu entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, exibido neste domingo (10), e alegou ainda que foi mal interpretada em conversas telefônicas gravadas pela polícia. Ela afirmou também está sendo vítima de vingança por parte de ex-funcionários do hospital.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]