i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
maioridade penal

Mulheres encarceradas apoiam mais a redução da maioridade que os homens

Dados são de pesquisa coordenada pelo professor da Pery Francisco Assis Shikida, da Unioeste

  • PorLuís Lomba
  • 11/09/2015 22:00

A redução da maioridade penal tem mais apoio entre as mulheres do que entre os homens presos no sistema carcerário do Paraná. Entre os homens, 34,6% apoiam a redução. Entre as mulheres esse percentual é quase o dobro: 66,1%. Os dados são de pesquisa coordenada pelo professor da Pery Francisco Assis Shikida, do curso de Economia e Programas de Pós Graduação em Desenvolvimento Regional e Agronegócio e Economia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

No Congresso

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou no dia 19 de agosto deste ano, em segundo turno, a proposta de emenda constitucional (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos em casos de crimes hediondos, homicídio doloso (quando se assume o risco de matar) e lesão corporal seguida de morte. Foram 320 votos a favor, 152 contra e uma abstenção. Eram necessários 308 votos para aprovar a PEC. Desde então, o projeto aguarda apreciação do Senado.

Ao mesmo tempo, o Senado aprovou um outro projeto que aumenta o tempo de internação máximo para os adolescentes infratores, dentro dos preceitos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de três para dez anos.

O fato de estarem mais exposta a crimes como estupro explica o maior apoio das mulheres à redução da maioridade penal, segundo o professor Shikida. “Praticamente todo o contingente de respostas favoráveis à redução da maioridade penal fez alusão ao estupro, dizendo ser isto imperdoável, independente da idade. Como sexo frágil, elas se resguardam mais e são mais favoráveis à redução”, diz. “Já os homens são em sua grande maioria contra porque percebem que a estrutura carcerária não é adequada para receber os novos detentos que vão chegar com a redução da maioridade penal”, explica.

Para 32,5% dos pesquisados a lei da maioridade penal apenas aos 18 anos de idade contribui para os menores cometerem crimes. “O curioso é que para 67,5% dos entrevistados, não relação entre idade penal e criminalidade”, observa Shikida. Pouco mais da metade (51,6%) dos entrevistados acredita na recuperação do menor infrator com medidas socioeducativas e internação - 55,4% cometeram algum delito antes dos 18 anos

Os tipos de crimes mais cometidos pelos entrevistados foram roubo (38,2%) e tráfico de drogas (38,2%). A pesquisa levantou as razões mais importantes para os pesquisados terem parado seus estudos: 32,8% se envolveram com o crime e drogas e 23,7% devido à necessidade de renda. Questionados sobre que mensagem dariam a um adolescente para que não cometa crimes, 39,8% responderam “tenham mais responsabilidade pelos seus atos”; 38,4% “educação”; 21% “trabalho” e 14,5% “família”.

A pesquisa entrevistou 165 detentos na faixa etária entre 18 e 23 anos, em julho e agosto deste ano, na Penitenciária Central de Piraquara, Penitenciária Estadual de Piraquara I e II, Penitenciária Feminina do Paraná, Presídio Central do Estado Feminino, Cadeia Pública de Toledo e Cascavel. No Estado da Paraíba foram pesquisados 21 pessoas, na Penitenciária de Segurança Máxima Geraldo Beltrão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.