i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lei mais dura

Na esteira de SP, vereador propõe multa de R$ 10 mil para pichadores de Curitiba

Helio Wirbiski (PPS) propôs mudança na lei municipal após solicitação da Associação Comercial do Paraná

  • PorAngieli Maros
  • 16/02/2017 14:34
Segundo ACP, R$ 10 milhões foram gastos em 2016 na repintura de fachadas pichadas no comércio. | Henry Milleo/Gazeta do Povo
Segundo ACP, R$ 10 milhões foram gastos em 2016 na repintura de fachadas pichadas no comércio.| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Projeto de lei protocolado na Câmara de Curitiba nesta quinta-feira (16) pega carona na decisão dos vereadores de São Paulo e propõe elevar a multa a pichadores para até R$ 10 mil. Na capital paulista, os parlamentares decidiram nesta quarta-feira (15) subir de R$ 767,53 para R$ 5 mil a penalização para quem pichar – custo que sobe para R$ 10 mil se o crime for contra bens públicos. Os valores são os mesmos recomendados na proposta que será discutida entre os vereadores de Curitiba a partir desta quinta-feira (16).

O projeto, do vereador Helio Wirbiski (PPS), foi levado à discussão a pedido da Associação Comercial do Paraná (ACP), que apontou gasto de R$ 10 milhões dos comerciantes para reparar os danos causados por pichação só em 2016 - montante que poderia ter sido usado para gerar mil novas vagas de emprego. “Daria perfeitamente para pagar mais salários, cada loja ter um atendente a mais para o público e proporcionar um serviço melhor”, avalia o diretor-executivo da ACP e coordenador do Programa Centro Vivo Camilo Turmina. “É muito prejuízo. Por que não pegar carona com o que está acontecendo em São Paulo e colocar uma multa expressiva, que choque mesmo?”, aponta Turmina.

TC mantém determinação para que prefeitura baixe tarifa de ônibus para R$ 3,70

Leia a matéria completa

Wirbiski explica que a proposta de lei também prevê que a limpeza do imóvel pichado seja de responsabilidade de quem cometeu o delito. “Acho que os pichadores fazem isso sem entender o prejuízo que causam para as outras pessoas. Pichação não é só negativo. É destrutível, horrível, é um mau exemplo”, acrescentou o vereador.

Atualmente, a multa para pichação em Curitiba é de R$ 2.133 e o ato pode render ainda de três meses a um ano de detenção, de acordo com a Lei de Crimes Ambientais. A prefeitura de Curitiba calcula um prejuízo anual de mais de R$ 1 milhão para manter limpos bens públicos pichados. Diante disso, nesta quinta-feira, o prefeito Rafael Greca (PMN) assinou novo convênio de parceria com a ACP para intensificar o combate à pichação.

“Por enquanto não podemos adiantar muita coisa, mas esse novo projeto vai ser uma parceria com comerciantes, órgãos governamentais como a Fundação Cultural, tanto para coibir como para punir e também propor uma nova forma de reabilitação aos pichadores. Vamos incentivá-los a praticar outra forma de expressão”, explica o inspetor da Guarda Municipal Carlos Celso dos Santos. A nova campanha deve ser lançada em até 30 dias.

Além da proposta de Wirbiski, o prefeito Rafael Greca (PMN) tem a intenção de aplicar tinta sobre pichação em imóveis históricos, como os do Largo da Ordem, conforme revelou em entrevista à Gazeta do Povo mês passado.

Prejuízo ao comércio

Além dos gastos para limpar áreas pichadas, desde novembro do ano passado um grupo de 30 comerciantes do calçadão da Rua XV de Novembro desembolsa mais R$ 150 por mês para manter uma patrulha de monitoramento noturno para coibir a prática dos vândalos. São dois seguranças em motocicletas que percorrem o eixo entre as praças Santos Andrade e Osório.

Desde então, 19 pessoas foram presas em flagrante. “A ideia agora, se mais comerciantes aderirem, é levar isso para outros bairros de Curitiba. Aos poucos a gente vai encontrando maneiras de lidar com a pichação”, enfatiza Turmina.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.