Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Quatro retornos, um trevo e nova trincheira também estão previstos na obra | André Rodrigues/ Gazeta do Povo
Quatro retornos, um trevo e nova trincheira também estão previstos na obra| Foto: André Rodrigues/ Gazeta do Povo

Intervenções

Obras na Cidade Industrial devem ser concluídas em 2014

Além da duplicação da BR-116, estão previstas obras na região da Cidade Industrial de Curitiba. Será construída uma trincheira no alinhamento da Avenida Hasdrúbal Bellegard – ligando a Rua Dilson Luiz, com sentido duplo e duas faixas de circulação por sentido. Haverá ainda quatro alças de retorno – duas em cada sentido da trincheira, que estão sendo executadas pela prefeitura de Curitiba. Por causa das intervenções, o km 116,5 da BR-116 tem um desvio para execução da trincheira do lado sul. Como alternativa, a entrada e saída é realizada após 700 m pela Rua Roberto Ozório de Almeida. Para retornar, os motoristas deverão usar o trevo do Contorno Sul, no km 115,1, e o dispositivo em nível no km 117,7. O sentido norte da trincheira já foi concluído e o sentido sul será até abril de 2014.

Nessa intervenção, a concessionária previu um espaço para implantação de uma canaleta para linhas de ônibus que ligam Curitiba a Fazenda Rio Grande. A obra depende de recursos do governo e não está no mesmo cronograma das demais.

Após quase dois anos do início das obras para duplicação do trecho da BR-116 entre Curitiba e Fazenda Rio Grande, a nova pista deverá finalmente ser entregue à população em setembro. Essa é a promessa da concessionária que administra a Autopista Planalto Sul. A duplicação até a região de Mandirituba deverá ser concluída até 2016. Com a obra, motoristas esperam menos congestionamentos e acidentes.

Apesar de não ter disponibilizado estatísticas oficiais, a concessionária reconhece: quem trafega no trecho não duplicado convive com riscos. Há quatro dias, por exemplo, um homem e uma mulher morreram no km 130 da BR-116, em Fazenda Rio Grande, após o veículo onde estavam colidir com um caminhão.

Espera-se também que a intervenção reduza os congestionamentos. Segundo a empresa, passam por dia 12.748 veículos na praça de pedágio de Fazenda Rio Grande. O semáforo na altura da Vila Pompeia, no bairro Tatuquara, gera grandes filas no horário de pico e é um dos gargalos que serão removidos após a instalação das novas trincheiras.

As intervenções começaram em outubro de 2011. Foram pavimentados cerca de 10 quilômetros da pista adicional e construídas duas passarelas. Uma ponte sobre o Rio Iguaçu também foi erguida – como a antiga ainda é reforçada e alargada, o trânsito está sendo desviado para a nova. Assim que o trabalho for concluído e aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), as duas serão liberadas para operação conjunta.

Além da duplicação do trecho, a concessionária promete entregar quatro retornos em desnível – todos eles objetos do contrato de concessão. De acordo com a empresa, essas obras dobrarão a capacidade do trecho. Também estão previstos uma nova trincheira na Rua Vereador Ângelo Burbello (km 119) e um trevo em desnível na região da Rua Jorge Tortatto. Essas intervenções são de responsabilidade do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) e têm data de conclusão posterior a de entrega do trecho duplicado. Dois trevos em desnível com semáforos serão mantidos nas regiões para permitir o contorno de moradores.

Contrapartidas

O prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Wozniack, entregou a representantes da concessionária uma lista com demandas por causa das obras na BR-116. Foram solicitados ajustes nos pontos de embarque de ônibus que circulam pelo trecho e também um pedido para que as obras sejam realizadas entre 9 h e 16h30.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]