i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
segurança

OAB e Conseg pedem a interdição da cadeia em Ivaiporã

Com capacidade para apenas 32 presos, local estava com superlotação de 141 detentos antes da fuga

  • PorMaurício Borges
  • 08/09/2009 18:11

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseção de Ivaiporã e o Conselho Municipal de Segurança (Conseg) querem a imediata interdição da Cadeia Pública de Ivaiporã, região centro norte do Estado. O cadeião da cidade, que tem capacidade para alojar apenas 32 presos, mantinha na noite de sexta-feira (4), antes de uma nova fuga, 141 detentos.

As duas entidades pretendem acionar o Ministério Público para exigir a interdição da cadeia. E, se não for possível, propor em nome da OAB e do Conseg uma ação visando a transferências dos presos e fechamento da unidade de custódia provisória de presos. A argumentação é de a superlotação torna a cadeia um local totalmente insalubre e de alto risco para toda a comunidade, em função das fugas.

Para o presidente da subseção da OAB, Fernando José Santílio, a situação da cadeia está insuportável, "tanto para os detentos, expostos a condiçõe subumanas, quanto para os moradores da cidade que vivem em constante tensão, ante o risco de fugas. "Há mais de dez anos estamos reivindicando uma nova cadeia e não obtivemos respostas das autoridades", assinala Santílio.

Segundo o presidente do Conseg, David Soares Ruas, o quadro só não está pior, graças ao delegado Osnildo Carneiro Lemes, que conseguiu evitar fugas por mais de 10 meses, mediante um acordo estabelecido com a maioria dos presos. "O cadeião é um verdadeiro barril de pólvora, encravado no centro da cidade, e prestes a explodir a qualquer momento", avalia ruas, reafirmando o clima de medo entre a população, estimada atualmente em cerca de 38 mil habitantes.

David Ruas lembra que na noite de sexta-feira, durante a fuga, um casal de namorados foi feito refém pelos fugitivos, depois de ter tomado seu veículo de assalto no centro da cidade. "Infelizmente a comunidade de Ivaiporã não está sendo levada a sério pelo Estado e vem correndo risco diariamente", critica ele, acrescentando que, " pelo jeito falta à vontade política para resolver essa situação".O delegado Osnildo Carneiro Lemes concorda que a estrutura da cadeia pública de Ivaiporã é precária e não atende a demanda de presos da cidade e municípios vizinhos. "A cadeia precisa sair deste local com urgência; outra medida necessária é o aumento do efetivo da Policia Militar, para auxiliar na guarda externa. "Nós estávamos com 141 presos e apenas um funcionário para fazer a guarda", revela.

Lemes relata que há um ano, quando assumiu a 54ª DRP, havia 67 presos. "Um ano depois estamos com 140 e com esta progressão daqui a um ano podemos ter 280", calcula ele.

Recontagem

Nesta segunda, após recontagem dos detentos da Cadeia Pública de Ivaiporã (CP), subiu de 14 para 19 o número de presos que conseguiram se evadir do local na noite de sexta-feira. Até o final da tarde de ontem, a polícia havia recapturado 6 foragidos.

Fábio Fernando de Souza e Jean Rodrigo Pereira foram pegos na mesma noite da fuga, em Lunardelli, depois de tomarem um casal de assalto, levando-os como reféns em seu próprio veículo. No sábado, a polícia prendeu em Ivaiporã Edu Rosa de Souza e Ademir Lima de Oliveira. No domingo, foram recapturados, José de Oliveira, em Lidianópolis; e Adriano Regis Zaramella, na cidade de Sumaré, interior de São Paulo.

Em outubro do ano passado o delegado Osnildo Carneiro Lemes recorreu a inusitado acordo com os presos para evitar novas fugas, tentando driblar a superlotação do cadeião. Pelo acordo celebrado os detentos tinham acesso livre aos corredores das galerias e também ao solário; eles podiam até pernoitar nestes espaços, desde que não houvesse fugas. Com a fuga do fim de semana o acordo foi quebrado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.