i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Norte Pioneiro

Obesa acusada de tráfico está presa em casa

  • PorAgência Estado
  • 10/10/2008 21:01

Curitiba - Acusada de tráfico de drogas, Cassiana Alves, de 27 anos, é mantida em prisão domiciliar em Santo Antônio da Platina, Norte Pioneiro, em razão da dificuldade de levá-la à cadeia. Ela pesa 315 quilos e tem um tumor na perna direita, o que a obriga a ficar permanentemente deitada em uma cama. Segundo a polícia, mesmo com a impossibilidade de locomoção ela é responsável pela distribuição de cerca de 200 gramas de crack e cocaína por semana na cidade.

Cassiana foi presa no dia 18 de setembro, em uma operação que levou outras 18 pessoas de oito cidades paranaenses para a prisão. Pelas investigações, a droga era levada de Foz do Iguaçu a Cambé, vizinha a Londrina, para uma pessoa que distribuía para outras cidades.

A Santo Antônio da Platina era enviada por meio de um mototaxista. Lá, Cassiana utilizava dois adolescentes para levar a droga aos clientes. Segundo o delegado da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), em Londrina, Michael Araújo, no dia da operação foi percebida a dificuldade de se cumprir a prisão preventiva dela. Por isso, acabou convertida em prisão domiciliar. Ela mora com a mãe, irmãs e sobrinhos.

"Ela confirmou que recebia a droga e distribuía na cidade", acentuou o delegado. Segundo ele, Cassiana justificou que fazia aquilo para garantir o tratamento de saúde.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.