Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Curitiba - Acusada de tráfico de drogas, Cassiana Alves, de 27 anos, é mantida em prisão domiciliar em Santo Antônio da Platina, Norte Pioneiro, em razão da dificuldade de levá-la à cadeia. Ela pesa 315 quilos e tem um tumor na perna direita, o que a obriga a ficar permanentemente deitada em uma cama. Segundo a polícia, mesmo com a impossibilidade de locomoção ela é responsável pela distribuição de cerca de 200 gramas de crack e cocaína por semana na cidade.

Cassiana foi presa no dia 18 de setembro, em uma operação que levou outras 18 pessoas de oito cidades paranaenses para a prisão. Pelas investigações, a droga era levada de Foz do Iguaçu a Cambé, vizinha a Londrina, para uma pessoa que distribuía para outras cidades.

A Santo Antônio da Platina era enviada por meio de um mototaxista. Lá, Cassiana utilizava dois adolescentes para levar a droga aos clientes. Segundo o delegado da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), em Londrina, Michael Araújo, no dia da operação foi percebida a dificuldade de se cumprir a prisão preventiva dela. Por isso, acabou convertida em prisão domiciliar. Ela mora com a mãe, irmãs e sobrinhos.

"Ela confirmou que recebia a droga e distribuía na cidade", acentuou o delegado. Segundo ele, Cassiana justificou que fazia aquilo para garantir o tratamento de saúde.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]