i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
IBGE

País tem mais mulheres por causa da violência contra homens

Expectativa de vida é maior para as mulheres, segundo o IBGE. Pesquisa aponta que elas vivem sete anos a mais que os homens

  • PorG1/Globo.com, com agências
  • 25/09/2008 13:43

A pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) analisou as condições de vida dos brasileiros em 2007. A expectativa de vida subiu para todos, mas as mulheres vivem, em média, sete anos mais do que os homens.

O Brasil tem, em média, 95 homens para cada 100 mulheres. Mas não era pra ser assim. Nascem mais meninos do que meninas no país. Eles são, pelo menos, 5% a mais do que elas nas maternidades. A situação começa a se inverter a partir da adolescência.

Nas ruas, é uma antiga constatação. "Acho que tem mais mulher", disse um rapaz. "É notável assim nas ruas que a concentração de mulheres é muito maior", acredita uma jovem.

Segundo a pesquisa do IBGE, uma das explicações é que as mulheres vivem mais, porque são mais resistentes às doenças. Mas o principal motivo de elas serem maioria é que os homens são as maiores vítimas da violência, sobretudo na juventude.

O estudo mostra que os jovens do sexo masculino estão quatro vezes mais expostos a situações violentas no trânsito, no envolvimento com drogas ou em homicídios.

O Recife é a capital com o maior número de assassinatos. São 90 vítimas a cada 100.000 habitantes e também tem a menor proporção entre homens e mulheres no país. Logo depois, vem a Região Metropolitana do Rio de Janeiro. São 88,5 mulheres para cada 100 homens.

A dona-de-casa carioca Regina Célia Maia perdeu o filho de 25 anos assassinado. Ele era o único homem entre quatro filhos.

Gláucio Soares, pesquisador de violência urbana da Fundação Getúlio Vargas (FGV), diz que em cada dez homicídios no Brasil nove são de homens. Segundo ele, a maioria das vítimas é formada por jovens pobres, solteiros, sem religião e que cresceram longe do pai.

"Essas explicações têm a ver com uma teoria da exposição, de hábitos do cotidiano que aumentam ou diminuem o risco de matar ou morrer. A violência contra os homens agora é responsável pela solidão das mulheres, 40 anos depois", avalia o pesquisador Gláucio Soares.

Escolaridade

Outros indicadores pesquisados pelo Instituto IBGE demonstram que a escolaridade vem aumentando, mas que a qualidade do ensino está ficando para trás.

Segundo o estudo, em 2007, 53% dos aposentados eram responsáveis pelo sustento da família. Há dez anos, eram 47%. A pobreza diminuiu nesse mesmo período. A porcentagem de famílias com renda per capita de até meio salário-mínimo caiu de 31% para 23%.

Mas a educação ainda revela números preocupantes. Apenas 17% das crianças com até três anos vão à creche no Brasil. O acesso é maior para quem ganha mais. No Ensino Fundamental, o que precisa melhorar é a qualidade. Ao todo, 1,3 milhões de crianças entre 8 e 14 anos são analfabetas. E 1,1 milhões delas estão matriculadas e freqüentam a sala de aula.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.