Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
D. Paulo Evaristo Arns morreu na quinta-feira: papa Francisco lamentou a morte do cardeal, a quem definiu como “autêntica testemunha do Evangelho” | Paulo Pinto/Estadão Conteúdo - AE
D. Paulo Evaristo Arns morreu na quinta-feira: papa Francisco lamentou a morte do cardeal, a quem definiu como “autêntica testemunha do Evangelho”| Foto: Paulo Pinto/Estadão Conteúdo - AE

O papa Francisco lamentou nesta quinta-feira, 15, a morte de d. Paulo Evaristo Arns ontem. Em mensagem divulgada pelo Vaticano, o pontífice disse que recebeu com grande pesar a notícia do falecimento, ocorrido na quarta-feira, 14, em São Paulo, e destacou o trabalho de d. Paulo Evaristo em favor dos mais pobres.

“[D. Paulo Evaristo Arns] se revelou autêntica testemunha do Evangelho no meio do seu povo a todos apontando a senda da verdade na caridade e do seu serviço à comunidade em permanente atenção pelos mais desfavorecidos”, escreveu o papa.

Papa Francisco afirmou que agradeceu a Deus por ter dado à Igreja Católica “tão generoso pastor”. “Elevo fervorosas preces para que Deus acolha na sua felicidade eterna este seu servo bom e fiel enquanto envio a essa comunidade arquidiocesana que chora perda do seu amado pastor e à Igreja do Brasil que nele teve um seguro ponto de referência.”

Já o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, prestou condolências e disse que d. Paulo Evaristo manteve alto “o farol da fé nos caminhos dos homens”. “Ao recordar os valiosos serviços por ele prestados à Igreja inteira com grande solução pastoral, a minha admiração e fraterna estima tornam-se oração que se une à vossa pelo falecido cardeal invocando junto do divino mestre o prêmio reservado aos seus discípulos fiéis”, escreveu.

Luto no Brasil

O presidente Michel Temer declarou luto oficial de três dias em todo o país em sinal de pesar pelo falecimento do cardeal Paulo Evaristo Arns, arcebispo Emérito de São Paulo. O decreto de Temer está publicado no Diário Oficial da União (DOU).

Perda

D. Paulo Evaristo Arns morreu na quarta-feira (14), aos 95 anos. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Catarina (SP) desde 28 de novembro com um quadro de broncopneumonia e, nos últimos dias, apresentou piora do sistema renal.

Grande líder da Igreja Católica, d. Evaristo dedicou a vida aos pobres, à defesa dos direitos humanos e virou símbolo de resistência à ditadura militar.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]