Ontem foi dia de eliminar criadouros no cemitério de Ponta Grossa. Hoje será a vez de Curitiba, Londrina e Cascavel | Henry Milleo/Gazeta do Povo
Ontem foi dia de eliminar criadouros no cemitério de Ponta Grossa. Hoje será a vez de Curitiba, Londrina e Cascavel| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Neste feriado de Finados o Paraná estará em atenção para evitar a proliferação do mosquito da dengue. Está programado para hoje um mutirão envolvendo agentes de endemias nos cemitérios das cidades de Curitiba, Maringá, Londrina e Cascavel. Em Ponta Grossa o trabalho de orientação aconteceu ontem e amanhã haverá uma força-tarefa nos cemitérios para esvaziar vasos com água e outros focos onde o mosquito consegue se proliferar facilmente.

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) alerta que nos cemitérios onde não haja essa mobilização por parte da prefeitura, a própria administração deve fazer o trabalho de eliminação dos criadouros, como vasos de flores, pratos, suporte para vela, copos plásticos e garrafas pet.

Somente neste ano, dos 59.696 casos notificados no estado, 31.835 foram confirmados. Desses, 30.948 são autóctones (doença contraída no estado) e 887 foram considerados importados. Segundo o último levantamento da secretaria, divulgado no dia 15 de outubro, os municípios com maior número de casos autóctones foram Foz do Iguaçu, com 8.712; Maringá, com 3.642 e Londrina, com 1.785.

De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria da Saúde, José Lucio dos Santos, os números refletem o índice ainda alto de infestação predial apresentado por vários municípios no início de 2010. "A população deve adotar as medidas simples de prevenção e controle, principalmente eliminando criadouros do mosquito."

Das 22 Regionais de Saúde, 14 apresentaram casos autóctones, o que representa 63,64% do total. As regionais com maior número de casos autóctones são Foz do Iguaçu, com 10.958 casos; Maringá, com 8.560; e Londrina com 2.928.

A coordenadora do programa estadual de combate à dengue, Márcia Gil Aldenucci, lembra que o risco é iminente e permanente, portanto, as atividades de controle e a participação da população são fundamentais. Dos 31.835 casos confirmados, foram notificados 56 de febre hemorrágica de dengue e 94 de dengue com complicação. Dos 150 casos graves, oito morreram.

Brasil

Oito estados brasileiros concentraram 75% das notificações de casos de dengue feitas entre 1.º de janeiro e 3 de julho de 2010, revela o último balanço parcial do Ministério da Saúde divulgado em agosto. Destes, seis apresentam as mais altas incidências em relação ao total da população: Acre (25.017), Mato Grosso do Sul (59.512), Goiás (80.189), Rondônia (18.892), Roraima (4.834) e Mato Grosso (32.883). Outros dois estados, São Paulo e Minas Gerais, destacam-se pelo número absoluto de casos (187.460 e 182.789, respectivamente), embora não estejam entre as maiores incidências. O Paraná, com seus mais de 31 mil casos confirmados é classificado como área de alto risco da doença.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]