i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Judiciário

Paranaenses também no STJ?

  • PorVinícius André Dias - justica@gazetadopovo.com.br
  • 17/06/2010 21:12

Enquanto cresce a expectativa em torno do nome do advogado Luiz Edson Fachin, professor da UFPR, para assumir posto no Supremo Tribunal Federal (STF), outro tribunal de Brasília pode estar perto de receber um ou mais ministros paranaenses: o Superior Tribunal de Justiça (STJ). O desembargador Marcus Vinicius de Lacerda Costa, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), teve seu nome aprovado pelo Pleno do STJ, na semana passada, para compor a lista tríplice dos concorrentes à vaga destinada à magistratura estadual, aberta em abril com a aposentadoria da ministra Denise Arruda – quem escolhe agora é o presidente Lula.

É a terceira vez que Lacerda Costa está entre os três mais votados. Desta vez, contudo, conta pontos a seu favor o fato de o Paraná estar sem representação no STJ, depois da aposentadoria da paranaense Denise Arruda, que é de Guarapuava – o ministro Felix Fischer é oriundo do Ministério Público do Paraná, mas é alemão naturalizado. "Agora, a chance é muito grande de se chegar lá, porque se trata de uma vaga do Paraná. Com a aposentadoria da ministra, a magistratura estadual do Paraná ficaria sem nenhum representante lá", diz Lacerda Costa, natural de Paranaguá.

Segundo Lacerda Costa, até hoje faltou articulação política para que o Paraná tivesse mais re­­presentantes nas cortes superiores. "Parece estar havendo uma convergência maior das forças políticas. Inclusive o governador Orlando Pessuti já abraçou a minha causa, que não é mais minha, mas do Paraná. É preciso apoio, porque o processo agora é totalmente político", diz o desembargador paranaense. Os concorrentes de Lacerda Costa ao STJ são os desembargadores Paulo de Tarso Vieira Sanseverino, do Tribunal de Jus­tiça do Rio Grande do Sul; e Jones Figueiredo Alves, do Tribunal de Justiça de Per­nam­buco.

Federais

Em outra frente, o Paraná concorre a mais uma vaga de ministro do STJ. Uma magistrada paranaense de origem está entre os três indicados, também na semana passada, à vaga destinada aos Tribunais Regionais Federais (TRF) – aberta com a aposentadoria do ministro Fernando Gonçalves. É Suzana de Camargo Gomes, natural de Palmas, ex-procuradora do estado do Paraná, que hoje atua no TRF da 3.ª Região (São Paulo e Mato Grosso do Sul). Seus concorrentes são Ma­­ria Isabel Diniz Gallotti Rodrigues, do TRF da 1.ª Região, e José Lázaro Alfredo Guimarães, do TRF da 5.ª Região.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.