| Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

A Polícia Federal (PF) cumpriu na madrugada desta sexta-feira (25) uma ordem judicial de reintegração de posse e retirou os manifestantes do prédio da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), no centro de Curitiba. De acordo com a PF, 55 estudantes estavam no local – seis menores de idade, que foram encaminhados aos conselhos tutelares da cidade. A universidade foi invadida na última sexta-feira (18).

Os agentes da PF, com apoio da Polícia Militar (PM), chegaram ao prédio por volta de 4h. Havia ônibus disponíveis para a retirada dos alunos. A operação acabou em torno das 8h05. Professores da instituição e advogados acompanharam a reintegração.

Um grupo de estudantes foi levado para a Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e outros foram deixados nas proximidades da rodoviária. Essa medida fez parte de um acordo para preservar a integridade física dos alunos e evitar confrontos. Da Reitoria, todos foram para casa. A PF colheu a identificação digital dos alunos que não portavam carteira de identidade.

De acordo com os policiais, a ação foi realizada em horário de pouca circulação de veículos e pessoas “com vistas a garantir a segurança de todos os envolvidos, inclusive dos manifestantes responsáveis pela ocupação”. Em nota, a PF informou que avaliará o conjunto de circunstâncias encontradas para definir se será instaurado um inquérito policial para apurar danos causados ao prédio.

Na terça-feira (22), a Justiça Federal entregou aos alunos uma ordem de desocupação imediata, que previa multa diária de R$ 10 mil, mas o próprio órgão teve que estender o prazo porque a PF havia comunicado falta de efetivo para cumprir o mandado.

De acordo com Sandroney Fochesatto, pró-reitor da UTFPR, as atividades administrativas e acadêmicas desta sexta-feira (25) serão adiadas, mas há expectativa de volta à normalidade já neste sábado (26). “Nós estamos tentando restabelecer o funcionamento normal da instituição para amanhã cedo. Teremos uma definição mais exata no final da tarde, mas a intenção é normalizar a situação o quanto antes”, explica.

Pouco antes da reintegração, na noite desta quinta-feira (24), manifestantes contrários ao movimento e favoráveis à ocupação entraram em confronto verbal. Não houve embate físico, como o registrado na terça-feira (22).

Os estudantes protestam desde o começo contra a PEC do Teto (que estabelece um limite para os gastos públicos) e a MP do Ensino Médio, reforçando os protestos estudantis dos alunos secundaristas.

Ocupações na UFPR

O Conselho Universitário (Coun) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) aprovou majoritariamente, em reunião na manhã desta quinta-feira (24), um posicionamento contrário à PEC do Teto e à MP do Ensino Médio. O órgão, colegiado máximo da instituição, também reconheceu as manifestações da comunidade acadêmica como legítimas. O posicionamento do Coun, no entanto, não altera as negociações e nem a decisão da Justiça Federal para a desocupação imediata de oito prédios da instituição.

A reunião fez parte de um compromisso da Reitoria em abrir o debate sobre as medidas do governo federal dentro da universidade.

De acordo com a UFPR, o conselho votou contra a PEC do Teto e a MP do Ensino Médio por entender que as medidas podem trazer prejuízo à instituição, carreiras de áreas de licenciatura e à educação brasileira. Durante a reunião, houve inclusive a apresentação de estudos sobre o impacto da PEC do Teto por professores do curso de Economia.

A UFPR solicitou à Justiça Federal a reintegração de posse dos nove prédios ocupados e um interdito proibitório, que impede os manifestantes de voltarem a tomar os locais. Na quarta-feira (23), um edifício usado pelos cursos de Enfermagem e Terapia Ocupacional, no campus Jardim Botânico, foi desocupado voluntariamente.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]