| Priscila Forone/ Gazeta do Povo
| Foto: Priscila Forone/ Gazeta do Povo

Enade

O Ministério da Educação decidiu dispensar do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes os universitários que se formariam em agosto de 2012. A medida vale apenas para alunos das universidades e institutos federais e foi tomada em função da greve dos professores que irá atrasar a conclusão do semestre letivo e do curso desses alunos.

Rodoviária

Os policiais rodoviários federais aceitaram o aumento de 15,8%, escalonado em três anos, a partir de 2013, e encerraram a greve. Segundo Pedro Cavalcanti, presidente da federação que representa a categoria, os agentes já foram informados sobre o fim da negociação e devem retornar aos postos de trabalho. O acordo prevê ainda o enquadramento do policial rodoviário federal como cargo de nível superior e o fim do limitador de 50% para progressão de carreira e alteração de nomenclatura para as classes das carreiras.

Isolados do conjunto dos servidores, que resolveram encerrar a greve e retornar ao trabalho, e divididos dentro da própria corporação, os agentes da Polícia Federal (PF) decidem hoje, em assembleia nacional dos seus 27 sindicatos filiados, se vão para a radicalização ou se aproveitam o último minuto da prorrogação para aceitar o acordo de reajuste de 15,8%, fatiado em três parcelas anuais, oferecido pelo governo. Das seis categorias que compõem o quadro, eles só têm apoio dos escrivães e papiloscopistas.

Outra categoria que ficou isolada é a dos auditores e analistas da Receita Federal, que ganha os maiores salários do Poder Executivo – entre R$ 13,5 mil e R$ 19,5 mil mensais. Eles lutam pela equiparação com o Judiciário e o Ministério Público, cuja renda mensal chega a R$ 26,7 mil, no topo da carreira.

O Ministério do Planeja­­mento passou o dia ontem redigindo as atas e minutas de acordo com as categorias que, após três meses de greves e protestos no setor público, aceitaram fechar o acordo. Segundo cálculo do secretário de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça, das 35 categorias que entraram em greve por melhoria salarial nos últimos três meses, 30 fecharam acordo, a maioria em cima da hora. Isso representa mais de 90% do universo de servidores que participaram da negociação.

Orçamento

O governo envia ao Con­­gresso amanhã o projeto de Lei Orçamentária Anual de 2013 contendo a previsão de gastos com a folha de pagamento. Duro na mesa, o Planalto mandou cortar o ponto dos faltosos e punir os servidores que cometeram excesso. Avisou também que as categorias que não fechassem acordo ficariam sem reajuste no próximo ano. O ultimato funcionou e várias categorias que ameaçavam radicalizar recuaram de suas posições e aceitaram a proposta na última hora.

Entre estas estão a dos fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, os agentes da Polícia Rodoviária Federal e o pessoal das agências reguladoras. Para surpresa dos negociadores do governo, até os servidores administrativos da PF resolveram sair da greve e assinar o acordo.

Como o trabalho atrasou, os agentes, representados pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), ainda podem entrar hoje na folha, se a assembleia decidir aceitar o índice oferecido. Eles foram à greve pela reestruturação da carreira e seu reconhecimento como categoria de nível superior, mas a proposta ainda não ganhou musculatura dentro do governo e tem resistência de delegados e da direção da própria PF.

Policiais distribuem frutas à população

Cerca de 200 quilos de legumes e frutas foram distribuídos para a população em uma manifestação dos agentes da Polícia Federal (PF), ontem à tarde, em Curitiba. O protesto ocorreu ao lado do terminal de ônibus do Santa Cândida, que fica próximo à Superintendência da PF. Os produtos acabaram rapidamente, em apenas 20 minutos.

"O ato foi simbólico. Foi para mostrar para o governo que ele nos jogou em uma cesta comum, junto com todos os servidores públicos, quando nossa reivindicação era completamente diferente", afirmou Alberto Domingos, vice-presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Paraná (Sinpef-PR).

A maior reivindicação dos policiais é a reestruturação das carreiras de agentes, escrivães e papiloscopistas, atualmente enquadradas em uma tabela de ensino médio, para uma tabela de nível superior. "Pedimos algo que nem daria impacto financeiro imediato. O que faltou foi vontade política do governo em sentar e tentar uma solução", disse Domingos.

Apesar de o atendimento ao público funcionar de maneira reduzida, a emissão de passaportes não está prejudicada em Curitiba. De acordo com informações da Superintendência da PF, a obtenção da identificação internacional ocorre normalmente. Novos agendamentos podem ser feitos pelo site, com a previsão de atendimento até o final de setembro. Para mais informações sobre passaportes, o telefone é o (41) 3251-7500.

Colaborou Fernanda Fraga, especial para a Gazeta do Povo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]