i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Morte Rafael Mascarenhas

PM pedirá prisão preventiva de suspeitos de extorsão

  • PorAgência Estado
  • 25/07/2010 13:33

O Comando da Corregedoria Interna da Polícia Militar (PM) vai se reunir nesta segunda-feira (24) com a juíza da Auditoria de Justiça Militar e o Ministério Público para solicitar a prisão preventiva do sargento Marcelo Leal de Souza Martins e do cabo Marcelo Bigen. Ambos são suspeitos de tentar extorquir a família de Rafael Bussamra, que atropelou e matou o filho da atriz Cissa Guimarães Rafael Mascarenhas, na madrugada de terça-feira. A dupla já se apresentou neste final de semana e está presa.

A prisão administrativa dos agentes foi determinada pelo comandante geral da corporação, coronel Mário Sérgio Duarte, na noite de sexta-feira. No mesmo dia, o pai do atropelador, Roberto Bussamra, prestou depoimento na 15ª Delegacia de Polícia e contou que os PMs pediram R$ 10 mil para liberar seu filho. Ele disse ainda que pagou apenas R$ 1 mil e desistiu de entregar o restante do dinheiro quando soube, por um telefonema de sua mulher, que o jovem era filho da atriz e que havia morrido.

Segundo a PM, Bigen e Martins ficarão presos por um prazo de 72 horas a partir da apresentação. Expirado esse prazo, eles vão desempenhar trabalhos internos no batalhão aguardando conclusão do processo administrativo. Ontem, o juiz de plantão do Tribunal de Justiça do Rio, Alberto Fraga, negou o pedido de prisão preventiva porque os agentes não têm antecedentes criminais, nem ofereceram, no período em que estavam livres, ameaças às testemunhas, nem ao andamento do processo.

Novo caso

A Corregedoria da Polícia Militar deve investigar um possível novo caso de tentativa de extorsão por agentes do 9º BPM (Rocha Miranda, zona norte). Na noite de sexta-feira, um motorista particular teria sido parado por dois agentes em Vaz Lobo (zona norte), que lhe exigiram R$ 200 para liberar o carro, que estava com a documentação vencida. Como o rapaz se recusou a dar o dinheiro, foi agredido com socos e pontapés. Em nota, a PM informou que vai apurar o caso assim que receber detalhes do ocorrido.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.