Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais | Sesa-PR/Divulgação
Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais| Foto: Sesa-PR/Divulgação

A Delegacia da Mulher de Ponta Grossa investiga um caso de estupro ocorrido no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais da Universidade Estadual de Ponta Grossa (HU-UEPG), no final do mês de julho. O suspeito é um enfermeiro, agora afastado pela direção da instituição. A vítima é uma paciente de 35 anos moradora da área rural da cidade. Ela foi internada em julho após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) e seu estado de saúde é considerado grave, segundo informou a delegacia.

A denúncia foi feita no início de agosto pela irmã da vítima. Segundo relatou a mulher à polícia e a funcionários do HU-UEPG, o episódio foi durante uma noite em que ela acompanhava a paciente. O enfermeiro teria entrado no quarto para realizar um atendimento e teria manipulado a vagina da paciente. “A irmã viu a prática do abuso e, como ficou assustada, fingiu que estava dormindo”, conta a delegada Cláudia Kruger.

Promotor humilha e ameaça menor vítima de estupro durante audiência no RS

Leia a matéria completa

Todos os servidores do hospital para os quais a irmã da paciente contou o que viu já foram ouvidos. “O relato dela sempre foi muito coerente, sempre da mesma forma”, diz Cláudia. A vítima já havia passado por várias internações por causa da condição de extrema fragilidade. Ela recebe alimentação por sonda, tem limitações motoras e na fala.

Mas, mesmo com as dificuldades de fala, a paciente conseguiu se comunicar e também confirmou o crime. O enfermeiro agora responde a um inquérito policial. Ele prestou depoimento na semana passada, mas nega a acusação.

Ainda não há previsão para o término das investigações. “A prisão preventiva nunca é descartada, depende das investigações, estamos colhendo mais provas”, explica a delegada. Se confirmado o crime, o suspeito pode responder por estupro de vulnerável – por causa da situação de enfermidade da vítima -, cuja pena varia de oito a 15 anos de reclusão.

A direção do Hospital Universitário se manifestou por uma nota oficial divulgada na semana passada. Nela, o diretor geral da instituição, Everson Augusto Krum, afirma que “tão logo houve a denúncia, o servidor supostamente envolvido foi afastado de suas atividades”, e que no mesmo instante a direção do HU-UEPG iniciou procedimentos para a instauração de processo administrativo, conforme determina o Estatuto dos Servidores Públicos do Paraná. “De mesma forma, imediatamente, o caso foi levado ao conhecimento da Delegacia da Mulher para as providências cabíveis”, diz o documento.

A nota informa ainda que o hospital tem dado apoio à paciente e familiares, “com acompanhamento psicológico e da assistência social”.

Rio Grande do Sul

Um técnico de enfermagem do Hospital São Lucas da PUC-RS, em Porto Alegre, foi preso na semana passada ao ser flagrado estuprando uma paciente de 37 anos. A informação é do portal de notícias G1.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima sofre de esclerose e toma medicação controlada. Para disfarçar a situação, o homem cobria os órgãos genitais com o jaleco. Ainda segundo os investigadores, o homem dizia para a paciente: “no meu turno sou teu dono”. A polícia orientou a mulher a gravar um vídeo, que foi feito por uma colega de quarto. Após o flagrante, o homem foi encaminhado para a delegacia, onde prestou depoimento e negou o estupro. Em seguida ele foi levado para um presídio.

O técnico de enfermagem vai responder por estupro de vulnerável, já que a paciente estava doente e não tinha o “necessário discernimento para a prática do ato”. De acordo com a polícia, uma outra paciente também foi abusada pelo homem.

Em nota ao portal G1, o Hospital São Lucas informou que “permanece acompanhando o caso e afastou o funcionário de suas funções enquanto aguarda os resultados da investigação”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]