i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Novo coronavírus

Presos por não pagar pensão alimentícia devem cumprir prisão domiciliar, define STJ

  • PorGazeta do Povo
  • 01/04/2020 21:00
Superior Tribunal de Justiça
Superior Tribunal de Justiça| Foto:

Pessoas presas pela falta de pagamento da pensão alimentícia poderão cumprir a pena em prisão domiciliar por causa da pandemia da Covid-19. A decisão foi dada pelo ministro Paulo de Tarso Sanseverino, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por causa do risco de disseminação do novo coronavírus no sistema penitenciário.

Atualmente, cerca de duas mil pessoas estão em outros regimes em razão da dívida alimentícia e serão beneficiadas com a decisão de Sanseverino.

Inicialmente, a Defensoria Pública do Ceará entrou com ação pedindo o cumprimento domiciliar para os presos daquele estado. Após a negativa do Tribunal de Justiça do Ceará, a liminar foi concedida pelo ministro do STJ.

Em seguida, a Defensoria Pública da União (DPU) pediu que a extensão da prisão domiciliar fosse concedida a todos os presos na mesma condição no país. O pedido foi também foi acatado pelo ministro Sanseverino. A decisão foi dada em 25 de março.

Segundo a decisão, um dos motivos para o pedido da DPU foi “a necessidade de uniformização de tratamento a todos que se encontram na mesma situação, pois nem todos os judiciários das unidades da federação conheceram e julgaram a questão e, os que julgaram, não o fizeram da mesma forma.

O ministro definiu ainda que as condições para o cumprimento da pena em casa e a duração desse benefício excepcional devido à pandemia serão determinadas pelo juízos de execução de alimentos.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • J

    Jorge Dias

    ± 0 minutos

    O estado não deveria se meter na falta de pagamento de pensão alimentícia, não é certo usar o nosso dinheiro para custodiar um problema particular de uma mulher que não soube escolher um homem decente.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso