i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Opinião

Professora considera política “um avanço”, mas critica forma de implantação

  • PorFelippe Aníbal
  • 13/09/2016 21:10

A doutora em educação e integrante do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas, Araci Asinelli da Luz vê com bons olhos políticas públicas focadas na linha da “redução de danos”. Ela acredita que apenas essa visão descriminalizada é que pode recuperar os dependentes químicos e reinseri-los na sociedade.

“É um avanço, porque tira do usuário o estigma de marginal e vê uma possibilidade de resgatá-lo sob o aspecto social e de saúde pública. Isso ainda mais em Curitiba, que é bastante resistente e preconceituosa em relação a essa visão”, disse a especialista, que é professora da Universidade Federal do Paraná.

Apesar disso, Araci aponta que o Conselho Municipal não foi consultado sobre a implantação da política. Por isso, ela considera que a “maneira impositiva” do funcionamento do programa pode pôr tudo a perder. “Isso não foi discutido com o Conselho e essa forma de implantação, em que não se discute com a sociedade, mostra a tendência à manutenção do status quo. Isso tente a gerar conflito. Não pode ser uma proposta eleitoreira. Isso tudo pode minar uma ideia que poderia ser muito importante”, apontou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.