Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
 | Christian RizziI/Gazeta do Povo/Arquivo
| Foto: Christian RizziI/Gazeta do Povo/Arquivo

Professores de três universidades estaduais do Paraná decidiram entrar em greve. Os primeiros a aderirem ao movimento foram os docentes da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Eles pararam as atividades nesta segunda-feira (10). Segundo o sindicato da categoria, o Adunioeste, atividades essenciais, como o atendimento a estudantes da área de saúde e pesquisas que envolvam experimentos laboratoriais com seres vivos, foram mantidas.

Na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Universidade Estadual de Maringá (UEM), os professores devem parar as atividades a partir dos dias 13 e 14 de outubro, respectivamente. Em todos os casos, a decisão é uma resposta ao projeto de lei enviado pelo governador Beto Richa à Assembleia Legislativa no dia 3 de outubro. Richa propôs a suspensão, por tempo indeterminado, da reposição salarial de todos os servidores públicos do Paraná. A data-base deve ser quitada depois que todas as promoções e progressões devidas sejam implantadas e pagas.

Segundo o texto do projeto do Executivo, promoções e progressões atestadas neste ano devem ser implantadas a partir de janeiro de 2017. Os atrasados, por sua vez, devem ser pagos ao longo do ano que vem. Em 2015, o governo já havia garantido que pagaria integralmente a inflação de 2016 aos funcionários, em 2017, acrescida de adicional de 1%.

Outras universidades

Durante o decorrer da semana, outras entidades sindicais representativas da categoria devem se reunir para decidir se aderem ou não à mobilização. O Sindicato dos Professores do Ensino Público Estadual de Londrina e Região, o Sindiprol Aduel, realiza a assembleia para discutir indicativo de greve na Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) e campus Apucarana da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), nesta terça-feira (11). “Infelizmente, estamos tendo um retrocesso em todos os aspectos econômicos e de diálogo e transparência”, diz o professor Renato Barbosa, presidente do Sindiprol Aduel.

Nos demais campus da Unespar, representados pelo Sindunespar, a assembleia com os professores ocorre dia 13. Já na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), a assembleia está marcada para o dia 19 de outubro.

Os trabalhadores da educação abrangidos pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior no Estado do Paraná (Sinditest), por sua vez, devem votar indicativo de greve no dia 13.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]