i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Parto

Projeto obriga maternidades de Curitiba a permitir atuação de doulas

  • PorCaroline Olinda
  • 03/03/2016 17:34
 | Osvaldo Eustaquio/Gazeta do Povo/Arquivo
| Foto: Osvaldo Eustaquio/Gazeta do Povo/Arquivo

As maternidades de Curitiba podem passar a ser obrigadas a permitir a entrada e atuação de doulas durante o trabalho de parto das gestantes. É isso que prevê o projeto de lei do vereador Colpani (PSB), que deve ir a votação na próxima terça-feira (8), no dia Internacional da Mulher. Atualmente, fica a critério de cada maternidade permitir ou não a entrada das profissionais. Em alguns locais, a mãe tem que escolher entre a doula, o marido ou outro acompanhante.

O texto deveria ter ido a votação na semana passada. Mas, após pressão de representantes da Federação dos Hospitais do Paraná (Fehospar), a análise da matéria foi adiada. Em nota, a federação afirma que o projeto deveria ser mais debatido, “em especial com os profissionais que atuam na área obstétrica”. Os hospitais pedem que a votação seja adiada em 60 dia, para mais discussões.

Autor da proposta, o vereador Colpani afirma que não pretende tirar o projeto da pauta. “Os hospitais dizem que o projeto não foi discutido o suficiente, mas isso não é verdade. Ele está desde o ano passado em tramitação e já passou por todas as comissões”, diz. A proposta foi apresentada em maio do ano passado e desde o fim de setembro está pronta para votação em plenário.

Uma das preocupações dos hospitais é em relação à falta de regulamentação da profissão. Até o momento, não existe qualquer tipo de associação que regule e fiscalize a atividade das doulas. No texto do projeto de lei, está previsto que as profissionais façam um cadastro prévio nas maternidades para que possam atuar nesses locais, mas não especifica quais documentos deverão ser apresentados.

Algumas maternidades de Curitiba já exigem o cadastro para permitir a entrada das profissionais junto com as gestantes. Elas precisam apresentar documentos de identidade, certificados que comprovem que realizaram curso de formação na área e cartas de recomendação de médicos. Em alguns locais, também se exige que a doula tenha formação em enfermagem.

Multa e protesto

Embora não pretenda tirar o projeto de votação, Colpani admite que um dos pontos mais polêmicos do texto deve ser suprimido. É o que prevê multa para os estabelecimentos que não permitirem a entrada e atuação da doula no local. Pelo texto, o hospital pode ser multado em até R$ 2 mil caso não permita que a profissional acompanhe a gestante. “A multa vai ser suprimida porque a lei poderia acabar sendo vetada pelo prefeito por causa desse ponto”, explica o vereador.

Para o dia 8, foi convocada uma manifestação em frente ao prédio da Câmara Municipal em apoio à aprovação do projeto. Nas redes sociais, também se iniciou uma campanha em favor da proposta. Mães e gestantes estão sendo convidadas a colorir suas fotos e incluir mensagens de apoio ao projeto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.