i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
São Paulo

Quase 2 mil famílias são cadastradas após incêndio em favela

Secretário das Subprefeituras promete solução definitiva até o fim do ano. A CDHU oferece R$ 2.700 para cada família que desocupar a favela

  • PorG1/Globo.com
  • 12/07/2010 16:48

O incêndio que destruiu a favela Tiquatira, na Zona Leste de São Paulo, é o terceiro de grandes proporções dos últimos nove anos. O objetivo da administração municipal é que eles não ocorram mais. Por isso, já foram cadastradas 1.700 famílias para entrar na fila das moradias populares. Cerca de 450 famílias foram levadas para uma unidade da CDHU em Itaquaquecetuba. Mas muita gente ainda está na espera.

Nesta segunda-feira (12), os moradores da favela também passaram o dia recolhendo dos escombros o que sobrou de suas casas.

José Cícero só recuperou uma peça de roupa da filha mais nova. Ele morava no local havia um ano e acha que nunca vai esquecer o que viu no domingo à noite. "O fogo foi como se tivesse jogado gasolina", conta.

Segundo Ronaldo Camargo, secretário das Subprefeituras, a solução definitiva deve chegar no fim do ano. "O objetivo nosso, nosso e do estado, até novembro é concluir a remoção dessas quase 2 mil famílias, sendo 850 até o fim dessa semana."

Enquanto o apartamento não sai, a CDHU promete pagar R$ 2.700 para cada família que desocupar a favela. O dinheiro é para o aluguel e despesas de mudança. A Prefeitura disse que vai reforçar a fiscalização para que novas famílias não ocupem o lugar.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.