i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
História

Rodovia foi entregue em 1961

  • PorAri Silveira
  • 19/04/2010 21:04

Inaugurada em janeiro de 1961 pelo presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira e pelo então presidente do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), engenheiro Edmundo Régis Bittencourt, a São Paulo-Curitiba é a principal ligação entre as regiões Sul e Sudeste do país. Faz parte da BR-116 (antiga BR-2), principal rodovia longitudinal brasileira, que se estende de Fortaleza (CE) a Jaguarão (RS).

A Régis Bittencourt tem trechos em pista dupla desde os anos 70 do século passado, mas a duplicação só ganhou maior impulso no fim dos anos 90. Na década de 1980 a estrada ficou conhecida como "Rodovia da Morte", por ser campeã brasileira de acidentes com mortes. Atualmente, o título pertence à Rodovia Fernão Dias (trecho da BR-381 que liga São Paulo a Belo Horizonte).

Segundo estimativa da Autopista Régis Bittencourt, concessionária que administra a rodovia desde fevereiro de 2008, cerca de 100 mil veículos passam diariamente pela estrada que liga Curitiba e São Paulo. Por causa desse grande volume de tráfego, os 30,5 km que restam em pista simples, na Serra do Cafezal, costumam apresentar engarrafamentos. A empresa, que pertende ao grupo espanhol OHL, iniciou a cobrança de pedágio no trecho em dezembro de 2008.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.