i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
mariana

Samarco entrega nova versão de plano de recuperação ambiental ao Ibama

    • Folhapress
    • 17/02/2016 19:32
     | Antonio Cruz/ Agência Brasil/Fotos Públicas
    | Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil/Fotos Públicas

    A Samarco entregou um novo plano de recuperação ambiental das áreas atingidas pela lama da barragem de Fundão ao Ibama nesta quarta-feira (17), 20 dias depois de o órgão federal recusar o primeiro documento apresentado pela mineradora.

    O plano servirá de base para as ações que a empresa deverá fazer na área que se estende de Mariana (MG) até o litoral do Espírito Santo, devastada por conta do vazamento de rejeitos minerais no dia 5 de novembro.

    O Ibama afirma que o texto será “reavaliado pela equipe técnica”. A primeira versão foi rejeitada porque o instituto considerou o plano genérico e superficial.

    Agora, a Samarco informa que contratou a consultoria Golden Associates para elaborar o relatório, com “informações relacionadas aos impactos já identificados e as ações recomendadas para a recuperação ambiental”.

    Em nota, a mineradora diz que o documento contém ações emergenciais e de longo prazo.

    Para o trecho que vai da barragem de Fundão até o reservatório da usina hidrelétrica Risoleta Neves (Candonga), a 100 km de distância, estão concentradas ações como construção de diques para conter os rejeitos, além de plantação de cobertura vegetal.

    Já próximo à região costeira, a mineradora diz que avalia “eventuais impactos em áreas de reprodução de tartarugas marinhas, manguezais, vegetação ribeirinha e outros ambientes marinhos”.

    O Ibama fará uma vistoria nesta quinta (18) e sexta-feira (19) na região de Barra Longa, uma das mais atingidas pelo lamaçal.

    O rompimento da barragem de Fundão deixou 19 mortos e um rastro de 600 km de estragos.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.