i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Paraná

Servidores estaduais da Saúde protestam contra aumento da jornada

  • PorAna Carolina Nery - Gazeta do Povo Online
  • 23/05/2007 06:52
Vídeo | RPC TV
Vídeo| Foto: RPC TV

Os servidores da Saúde pública estadual realizaram na manhã desta quarta-feira (23) uma manifestação em frente ao Palácio das Araucárias, no Centro Cívico, em Curitiba. Os trabalhadores protestam contra o aumento da jornada de trabalho. A categoria também fez uma assembléia no Plenarinho da Assembléia Legislativa do Paraná.

Os servidores cumprem uma jornada de trabalho de 30 horas semanais há quase 20 anos, respaldados em orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e deliberações das Conferências Estadual e Nacional de Saúde. Esta é a mesma carga horária semanal do setor privado.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Pública do Estado do Paraná (SindSaúde-PR), o governo do estado quer aumentar a jornada de todos para 40 horas semanais. "Os servidores cumprem uma jornada de trabalho de 30 horas semanais há mais de 18 anos. O secretário (de Saúde) Cláudio Xavier resolveu resgatar a lei 13.666 do governo Jaime Lerner, da qual ele não cumpre vários artigos, mas quer cumprir o artigo que trata do aumento da jornada", protesta a diretora de comunicação do SindSaúde-PR, Elaine Rodella.

Segundo Elaine, o sindicato tenta negociar com o governo desde novembro do ano passado. Durante a manifestação, alguns servidores usaram mordaças, que representariam a falta de diálogo do governo.

De acordo com a diretora, a assessoria do governador em exercício Orlando Pessuti esteve no local da manifestação, que conforme o SindSaúde teve a participação de 250 pessoas, e teria ficado de agendar ainda para quarta uma reunião com o vice-governador. "Nós não vamos sair daqui até que saia esta reunião com Pessuti", complementa.

No final da tarde, a assessoria do governo informou que a reunião não iria acontecer nesta quarta. Pessuti teria uma viagem agendada. Segundo Elaine, o sindicato não recebeu resposta sobre uma outra data para realização do encontro. A entidade ameaça realizar paralisações em diversas unidades de Saúde, incluindo o Hospital do Trabalhador, na próxima semana.

Outro lado

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou, por meio de nota oficial enviada pela assessoria de imprensa, afirmou que os funcionários deverão cumprir a jornada de trabalho de 40 horas semanais, de acordo com a lei 13.666, de 2002, e com o decreto 4.345, de 2005. Segundo a nota, "aqueles que não cumprirem a jornada terão as horas não trabalhadas descontadas do salário, conforme circular da Secretaria da Saúde em vigor desde 29 de março".

A nota diz ainda que um levantamento das secretarias da Administração e da Saúde e da Celepar mostra que na folha de pagamento do mês de maio há o registro de 545 casos de não cumprimento da jornada de 40 horas semanais ou de faltas injustificadas, entre os servidores da saúde. "Esse total representa 8% dos cerca de 6,8 mil servidores da área de saúde no Poder Executivo estadual".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.