i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Polícia

Sindicato faz protesto pela manutenção da aposentadoria

  • PorSimoni Saris, do Jornal de Londrina
  • 24/09/2008 21:02

Londrina - Policiais civis realizaram ontem uma passeata pelas ruas centrais de Londrina. Eles protestam contra a decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de convocar ao trabalho os policiais já aposentados. Cerca de 100 policiais participaram da manifestação, segundo o Sindicato dos Policiais Civis de Londrina e Região (Sindipol), que organizou o protesto.

Na Região Norte do Paraná, dez policiais aposentados já foram chamados para retornar ao trabalho. Em todo o estado, são 500 policiais que poderão ter a aposentadoria cancelada. "Essas pessoas não têm condições de trabalhar", afirmou o presidente do Sindipol, Ademilson Alves Batista.

Respaldado por uma emenda constitucional, há cerca de um ano o TCE passou a convocar os policiais civis aposentados a retornar às suas antigas funções, contrariando a decisão da Paranaprevidência, que concede as aposentadorias. O Tribunal entende que a reforma previdenciária suprimiu o direito da classe de se aposentar antes da idade mínima de 53 ou 60 anos, dependendo do regime jurídico ao qual o servidor está submetido. "Queremos que o governo faça uma lei regulamentando as aposentadorias para que essa divergência acabe", declarou Batista.

Na manifestação de ontem, os policiais reivindicaram ainda o aumento do efetivo e a elaboração de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para a categoria. Um decreto estadual tratando dessa questão chegou a ser publicado pelo governo do estado em 2005. Mas, segundo o Sindipol, até hoje o decreto não entrou em vigor. Hoje de manhã, representantes do governo e dos policiais reúnem-se em Curitiba para discutir o assunto.

Sobre o aumento do efetivo, a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que a partir de fevereiro 900 policiais ingressarão nos quadros da Polícia Civil do Paraná.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.