Em Foz, a maior parte das casas da região sul da cidade foi afetada. | Kiko Sierich/Gazeta do Povo
Em Foz, a maior parte das casas da região sul da cidade foi afetada.| Foto: Kiko Sierich/Gazeta do Povo

O novo balanço da Defesa Civil do Paraná mostra que as chuvas que atingiram o Paraná desde ontem afetaram 94,3 mil pessoas, em 32 municípios. A cidade mais afetada é Foz do Iguaçu, com 60 mil pessoas prejudicadas pelo mau tempo ou que ficaram sem fornecimento de água ou luz. O número de pessoas afetadas subiu após a contagem dos estragos em Nova Esperança, no Noroeste. Foram 19,8 mil atingidos pela tempestade com granizo no município, dos quais 800 ficaram desalojados.

Veja fotos dos estragos causados em Foz

Após feriado chuvoso, sol volta a brilhar nesta quarta-feira no Paraná

Leia a matéria completa

Em Foz do Iguaçu, 2 mil pessoas foram desalojadas por causa da chuva, mas estão abrigadas em casas de conhecidos ou na Escola Municipal Adele Zanotto, onde a prefeitura de Foz do Iguaçu concentrou o atendimento à população. Dez pessoas ficaram feridas por causa da forte tempestade, que teve ocorrência de granizo. A cidade decretou situação de emergência. Após sobrevoar o município com uma aeronave da Marinha, o prefeito da cidade, Reni Pereira, informou que 95% das casas da região sul de Foz do Iguaçu foram danificadas.

Chuva deixa 48 mil casas sem energia elétrica no Paraná

Maringá é a cidade com a rede mais atingida no estado

Leia a matéria completa

Em Santa Catarina, 19 cidades são atingidas por temporais e granizo

Leia a matéria completa

O Exército está auxiliando o atendimento em Foz do Iguaçu. Segundo informações da prefeitura, um pelotão de fuzileiros de 35 homens e dois caminhões foram para a escola Adele Zanotto. Eles estão cuidando da segurança enquanto as equipes da Defesa Civil e da prefeitura prestam atendimento à população.

Os vendavais também causaram estragos, principalmente na região Sudoeste. Foram cem casas danificadas em Planalto, onde o vento chegou a 113 km/h. Segundo a RPC TV, dois aviários foram destruídos na zona rural do município, matando quatro mil aves. Outras 70 casas sofreram danos em Ampére. Há cinco pessoas feridas nessas duas cidades.

A quantidade de chuva é alta em todo o estado. Em Campo Mourão, o acumulado diário de chuva chegou a 99 milímetros – a média mensal do município para essa época do ano é de 147 milímetros. A chuva deve continuar na tarde desta terça-feira, em todo o Paraná, e só deve dar uma trégua na quarta-feira (9).

Estado de Emergência

Além de Foz do Iguaçu, outras 18 cidades foram afetadas pela chuva de granizo, entre elas Goioxim, na região de Guarapuava, com 2,5 mil pessoas afetadas e 500 casas danificadas. As duas cidades decretaram situação de emergência.

Moradora do bairro Porto Meira, em Foz do Iguaçu, Luziana Lucy Vaz conta que o pior ocorreu por volta das 21h horas de segunda-feira (7). “Foi terrível. Quebrou o eternit [do telhado], as janelas, os vidros do carro. Nunca tinha visto nada parecido”, conta. Não houve tempo para proteger os móveis da casa, e a chuva molhou os colchões, os sofás e os aparelhos eletrônicos. Ela conta que o mesmo aconteceu em todas as casas da rua.

Sem ter sequer onde dormir, ela se refugiou na casa da filha, em um bairro próximo. Na noite desta terça, porém, ela poderá dormir casa, já que pode contar com a solidariedade de um morador da cidade, que doou um colchão.

Uma edificação em construção de cerca de quatro andares chegou a desabar por causa da chuva, no início da noite. Ninguém ficou ferido.

O Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar) está recebendo doações para os desabrigados. São necessários colchões, roupas, cobertores e lonas. As doações estão sendo recolhidas em três sedes do Provopar em Foz, no Centro, no Jardim São Paulo e na Vila C, além do Barracão da Solidariedade, no bairro Campos do Iguaçu.

  • Moradores tiveram bastante prejuízo com telhados danificados: móveis e roupas ficaram molhados em Foz.
  • Pelo tamanho dos buracos, é possível ter uma ideia do susto dos moradores com o granizo.
  • As pedras de granizo eram tão grandes que quebraram parabrisas.
  • A estrutura de um prédio de quatro andares em construção desabou com os ventos fortes em Foz.
  • Estragos causados pela chuva em Capanema.
  • Aviário destruido pelo vendaval em Três Angico, distrito rural de Capanema.
  • Foto enviada pela leitora Vilma Martins, de Cascavel, mostra o tamanho das pedras de granizo.
  • Mais detalhes do granizo de Cascavel, na foto enviada por Vilma Martins.
  • Em um helicóptero da Aeronáutica, o prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira (PSB), sobrevoa Foz do Iguaçu.
  • Grande parte dos estragos foram registrados na região Sul da cidade.
  • Em Curitiba, apesar do grande volume de chuvas, não foi registrado nenhum estrago.
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]