Um passageiro no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), têm quase três vezes mais chances de ser vítimas de crimes do que um viajante em Congonhas, em São Paulo. A taxa de criminalidade no terminal internacional é de 5,5 ocorrências por 100 mil passageiros, enquanto em Congonhas é de 2 por 100 mil. O cálculo foi feito com base nas ocorrências, de janeiro a outubro deste ano, registradas pelas Polícias Civil e Federal. Especialistas em segurança atribuem o índice de Cumbica ao fluxo de pessoas. "O risco de o criminoso ser pego em Guarulhos é menor. As quadrilhas são mais disfarçáveis em aeroportos internacionais e há mais vias de acesso e saídas. Em Congonhas, é mais fácil cercar alguém", diz o consultor Carlos Alberto de Camargo, ex-comandante da PM. Do ano passado para cá, o número de furtos e roubos diminuiu 18% em Cumbica – de 1.594 para 1.315 – e 47% em Congonhas – de 350 para 186.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]