Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Presidente em exercício Michel Temer: indignação com o estupro coletivo no Rio. | Evaristo Sá/AFP
Presidente em exercício Michel Temer: indignação com o estupro coletivo no Rio.| Foto: Evaristo Sá/AFP

No dia seguinte à repercussão negativa por não ter se pronunciado prontamente sobre o estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no Rio de Janeiro, o presidente interino Michel Temer (PMDB) divulgou nota nesta sexta-feira (27) repudiando o ocorrido. O peemedebista anunciou também nesta sexta que pretende criar um departamento na PF para combater violência contra a mulher.

LEIA TAMBÉM: A íntegra da nota do presidente Michel Temer

O peemedebista classificou como um “absurdo que em pleno século 21 tenhamos que conviver com crimes bárbaros como esse” e anunciou que o ministro Alexandre de Moraes [Justiça] convocou uma reunião na terça-feira (31) com secretários de segurança pública do país para tomar “medidas efetivas para combater a violência contra a mulher.”

“Repudio com a mais absoluta veemência o estupro da adolescente no Rio de Janeiro. É um absurdo que em pleno século 21 tenhamos que conviver com crimes bárbaros como esse”, disse.

‘Quando acordei, tinham 33 caras em cima de mim’, diz menor estuprada no Rio

Leia a matéria completa

A ausência de um posicionamento do presidente interino gerou críticas na redes sociais. A reportagem entrou em contato nesta quinta-feira (26) com a equipe do peemedebista, que não se pronunciou. A presidente afastada Dilma Rousseff (PT) usou o Twitter para falar do assunto no mesmo dia. “Mais uma vez, reafirmo meu repúdio à violência contra as mulheres. Precisamos combater, denunciar e punir este crime”, escreveu.

Para o ministro da Justiça, “o estupro representa a maior violência à dignidade da mulher e deve ser duramente reprimido”.

O presidente interino disse ainda que criará um departamento na Polícia Federal para crimes contra mulheres, que agrupará informações estaduais e coordenará ações em todo país. “Nosso governo está mobilizado, juntamente com a secretaria de segurança pública do Rio de Janeiro, para apurar as responsabilidades e punir com rigor os autores do estupro e da divulgação do ato criminoso nas redes sociais”, disse.

Desde a noite de quarta-feira (25), o Ministério Público do Rio de Janeiro e a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática já apuravam denúncia de um estupro coletivo em uma comunidade no bairro da Praça Seca, na zona oeste da capital fluminense.

Leia o texto na íntegra

“Repudio com a mais absoluta veemência o estupro da adolescente no Rio de Janeiro. É um absurdo que em pleno século 21 tenhamos que conviver com crimes bárbaros como esse.

O ministro da Justiça convocou reunião com os secretários de segurança pública de todo país, nesta terça-feira, quando tomaremos medidas efetivas para combater a violência contra a mulher.

Vamos criar um departamento na Polícia Federal tal como fiz com a delegacia da mulher na Secretaria de Segurança Pública do governo Montoro, em São Paulo. Ela vai agrupar informações estaduais e coordenar ações em todo país.

Nosso governo está mobilizado, juntamente com a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, para apurar as responsabilidades e punir com rigor os autores do estupro e da divulgação do ato criminoso nas redes sociais.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]