i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Transportes

Trecho exige muita paciência de motorista

  • PorNatália Cancian, enviada especial
  • 10/02/2010 21:04

Barra do Turvo, SP - Rodar na BR-116 entre Curitiba e São Paulo ontem foi um exercício de paciência. A reportagem da Gazeta do Povo levou duas horas e dez minutos para fazer um trecho de dez quilômetros próximo a Barra do Turvo, na divisa com São Paulo, onde houve a queda de barreira. Dos 30 mil metros cúbicos de terra que haviam caído, apenas 8 mil já tinham sido tirados até o início da noite.

Para o caminhoneiro André Luiz de Alexandre, ontem foi o segundo dia consecutivo de espera na estrada. Na terça-feira, quando caiu a barreira, ele demorou sete horas "na fila", durante o seu trajeto de Paulínia (SP) até Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Ontem, fazia o trajeto oposto, e não tinha previsão de chegada.

O mecânico Fábio Miguel Acosta, que viajava com esposa e filha do Rio Grande do Sul para São Paulo teve mais azar: o carro quebrou em pleno congestionamento e ele esperava um socorro que tinha poucas chances de chegar. "E aqui vai chegar socorro de que jeito, com esse trânsito?".

Além da queda de barreira, a BR-116 teve ontem os contratempos de sempre. Em Campina Grande do Sul, na saída de Curi­tiba para São Paulo, um caminhão-cegonha tombou e causou outro congestionamento no quilômetro 33 da rodovia.

Segurança, Valdeir Monteiro ia ontem de Campinas para Itajaí. Usuário frequente da BR-116, diz já estar acostumado às demoras e aos problemas da pista. "Sempre passo aqui e é sempre a mesma coisa. Hoje foi a barreira, mas sempre tem acidente", disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.