i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Após greve

TST volta atrás e mantém reajuste de 10% para motoristas do Recife

Na nova decisão, o presidente do TST alegou ter se orientado pelo princípio da livre negociação para justificar o recuo

  • PorFolhapress
  • 26/08/2014 12:34

A Justiça do Trabalho voltou atrás e decidiu manter o reajuste salarial de 10% para motoristas, cobradores e fiscais de ônibus do Recife e região metropolitana.Os demais reajustes ficam mantidos em 6%.

Em decisão publicada no Diário Eletrônico da Justiça desta terça-feira (26), o presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), ministro Barros Levenhagen, reconsiderou parcialmente a suspensão do benefício que ele próprio havia determinado na semana passada.

A categoria havia parado por três dias no final de julho e conseguido reajuste de 10% no salário e 75% no vale-refeição, graças à decisão do TRT-6 (Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região).

Na semana passada, Levenhagen determinou que todos os reajustes concedidos à categoria fossem de 6%, até votação no dia 8.

Os trabalhadores pararam durante toda a sexta-feira (22) e por quatro horas na segunda-feira (25).

Na nova decisão, o presidente do TST alegou ter se orientado pelo princípio da livre negociação para justificar o recuo.

Com a nova decisão, válida até o julgamento no próximo mês, os pisos salariais ficam mantidos em R$ 1.765,50 para motoristas, R$ 1.141,69 para fiscais e R$ 812,13 para cobradores.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.