i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
saúde

Uma a cada três crianças tem sobrepeso

  • Por
  • 27/08/2010 21:04

No Brasil, 33,5% das crianças entre 5 e 9 anos estão acima do peso adequado, o que representa que a cada três, uma é gorda. É o que mostram os dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 20 anos, o patamar de excesso de peso entre os meninos dessa idade mais do que dobrou: passou de 15% para 34,8%. Entre as meninas, a taxa quase triplicou no período e passou de 11,9% para 32%.

Segundo o IBGE, o excesso de peso tende a ser maior em áreas urbanas do que nas áreas rurais. E é justamente na Região Sudeste (onde estão as maiores concentrações urbanas) que há mais crianças obesas: são 39,7% dos meninos e 37,9% das meninas.

"As crianças de São Paulo, por exemplo, saem menos de casa do que as de Curitiba. A violência é tão grande que para andar três quadras até a escola, elas precisam ir com os pais. Além disso, raramente brincam na rua", diz a nutricionista Sandra Chemin, presidente do Conselho Regional de Nutricionistas da 3.ª Região. "A violência tirou as crianças das praças. Elas ficam vendo televisão ou jogando viodeogame", afirma o ministro da saúde, José Gomes Temporão.

Quem mora no Sudeste tem ainda acesso mais fácil aos restaurantes de fast-food e tende a levar uma vida mais agitada, com menos tempo para refeições adequadas. Para Sandra, o ideal seria investir arduamente em um programa de educação alimentar porque, inclusive nas escolas, as crianças estão comendo mais.

Entre os adolescentes, um quinto está com peso acima do padrão internacional estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). "O que preocupa é a tendência de aceleração, principalmente entre os jovens. Ou seja, está aumentando mais nos últimos anos do que vinha aumentando antes", disse o professor de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) Carlos Monteiro. Ele defendeu a criação de uma política fiscal que torne produtos industrializados menos acessíveis do que alimentos. "Obesidade não se trata, se previne."

Visão distorcida

Ao entrevistar e medir a altura e o peso de estudantes do último ano do ensino fundamental em escolas públicas e privadas, o IBGE descobriu que 35,8% das meninas que se declararam "muito gordas" apresentavam estado nutricional adequado. Entre os meninos, 21,5% enquadraram-se na mesma situação. "Isso tem relação com certo padrão estético que está sendo vendido. Eu, que já sou um pouco mais antigo, fico meio chocado. Primeiro, porque é um padrão de beleza que se aproxima mais de lutadores de boxe e, no outro extremo, a uma magreza mórbida, que é explorada como padrão idealizado", comentou Temporão.

Um ponto a se comemorar é que diminuiu a desnutrição infantil no Brasil: em 1974 atingia 5,7% dos meninos e 5,4% das meninas, o índice caiu para 4,3% e 3,9% respectivamente em 2009.

Veja também
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.