Algumas esculturas refletem tristeza e desespero. E também são retratos da moda, arte e arquitetura de diferentes épocas | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Algumas esculturas refletem tristeza e desespero. E também são retratos da moda, arte e arquitetura de diferentes épocas| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Patrimônio

Visitação é comum em outros países

Apesar de exemplos brasileiros como o Cemitério da Consolação, em São Paulo, e o Cemitério São João Baptista no Rio de Janeiro, a exploração turística desses lugares não é uma tradição como em países europeus ou mesmo da América Latina. "Aqui a mentalidade é outra. Ainda relacionamos a morte ao sofrimento e ao luto", diz a vice-presidente da Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais, Clarissa Grassi.

Na Europa, um dos mais visitados é o Pére Lachaise, em Paris. Anualmente o local recebe 2 milhões de pessoas interessadas no túmulo de celebridades como Allan Kardec, criador do espiritismo, ou ainda do roqueiro Jim Morrison, vocalista da banda The Doors. Na cidade colombiana de Medellínn, o cemitério foi transformado em patrimônio cultural, onde são realizados shows pirotécnicos em noites de lua cheia. No espaço também acontece exposição de fotos e até concurso de arranjos florais, segundo Clarissa.

Para a turismóloga Luciane Spader, este tipo de turismo vem crescendo e ganhando importância, a ponto de serem organizadas viagens e excursões com objetivo exclusivo de conhecer cemitérios. Em alguns casos, inclusive, os cemitérios mais famosos criaram tours virtuais, para divulgar acervo artístico, cultural e histórico desses lugares pela internet.

  • Muitas estátuas do Municipal são de figuras santas. Mas há representações de pessoas comuns, como na última acima, considerada a mais significativa das obras
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]