i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
curitiba

Vandalismo em ônibus custou R$ 279 mil em 2014

  • PorRodrigo Batista
  • 26/02/2015 03:00

O ano de 2014 foi de grande prejuízo para o transporte público de Curitiba e região metropolitana por causa do vandalismo. Números divulgados pelo Sindicato das Empresas de Transporte Público (Setransp) indicam que foram gastos R$ 279.803,21 no ano passado por causa de depredações nos veículos. Esse foi o terceiro maior valor desde 2004. Ao todo, em 2014 foram 1.153 veículos depredados, segundo o órgão.

A maior parte (37,29%) dos veículos depredados foram de alimentadores, seguido dos ônibus expressos (24,02%), metropolitanos (14,4%) e convencionais (10,06%). As linhas Turismo e Inter Hospitais foram as únicas que não sofreram com o vandalismo. O mês de julho, com 131 casos de vandalismo, foi o período de mais casos, segundo o Setransp.

Os dados mostram que o valor gasto por causa do vandalismo em 2014 é o terceiro maior desde o início do levantamento de prejuízos, em 2004. Naquele ano, o gasto foi o maior registrado, com R$ 289.962,94 destinados a reparos, seguido pelo ano de 2005, com R$ 281.867,68.

O diretor da empresa Transporte Coletivo Glória, Gelson Forlin, disse que os casos de vandalismo ocorrem com mais frequência nos dias de jogos de futebol e que as depredações encarecem o custo do transporte. Para ele, entretanto, há um lado “mais perverso” dessas depredações. “O vandalismo assusta quem está dentro dos ônibus e cria um clima de pânico que pode terminar com alguém ferido gravemente”, diz.

A reportagem procurou a Urbs para falar sobre o assunto, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.